Sábado, 16 de fevereiro de 2019

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Fabio de Carvalho
Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Renilde

Condições de armazenamento determinam a qualidade dos produtos.

Foto: Divulgação

Durante o verão, cuidados com alimentação devem ser redobrados

Publicado em 21/12/2018 às 12:49 por Rosi Rodrigues

O verão chega oficialmente em 21 de dezembro. Segundo o Inpe (Instituno Nacional de Pesquisas Espaciais), Apesar disso, a população já está sentindo os efeitos das altas temperaturas  e consumindo alimentos mais leves. Conservar os alimentos durante o período mais quente do ano, no entanto, requer cuidados especiais.

"As pessoas saem mais de casa com o calor e buscam uma alimentação menos pesada, então procuram por frutas, verduras e legumes”, declara Antônio Marcos Lopes Utyama, comerciante responsável por uma loja especializada em frutas, verduras e legumes no Mercado Municipal de Sorocaba, interior de São Paulo. E, com o termômetro beirando os 30 graus, ele afirma que o cuidado com a conservação dos alimentos deve ser redobrado.

O calor faz com que os alimentos durem menos. “Alimentos perecíveis e manipulados não devem permanecer em temperatura ambiente por mais de duas horas”, aponta a nutricionista e professora da Universidade de Sorocaba (Uniso), Márcia Mendes. Ela apontando os maiores vilões nesta época: carnes, leite e ovos. Segundo a especialista, estes três alimentos precisam de atenção especial pois estragam facilmente no calor.

Entre as consequências da má conservação dos alimentos está o aparecimento da bactéria Salmonella. “Ela pode ser transmitida pela ingestão de alimentos crus ou mal cozidos contaminados por fezes, que em temperaturas quentes se proliferam rapidamente”, aponta a nutricionista. Se consumidos, os alimentos contaminados poderão causar infecção ou intoxicação alimentar. Os sintomas poderão aparecer de duas a quatro horas após a ingestão, apresentando náuseas, vômitos, febre, cólicas intestinais e diarréia.

O comerciante Antônio Utyama atende Carolina Abreu, que gosta de consumir tomates nas refeições (Foto: Adriane Souza/G1)

“As frutas são uma ótima pedida, já que hidratam, são ricas em vitaminas e fibras e pobres em calorias. As verduras completam muito bem a alimentação de forma leve e saudável: é só lavar bem e aproveitar”, recomenda Márcia. E a compradora Carolina Abreu sabe bem que a recomendação da nutricionista faz bem. “Neste calor, é melhor consumir alimentos naturais, que não precisam de cozimento”, conta.

A jovem é freguesa da loja de frutas do Mercado Municipal sorocabano e conta que tomate e alface costumam complementar as refeições em sua casa. “Tomate e alface são os campeões de venda nesta época do ano”, diz o comerciante, que afirma se preocupar mais com a qualidade do que oferece aos clientes. “Todos os dias chegam mercadorias e, como elas duram muito menos, procuro reduzir a compra em 50%, para que tudo acabe com mais frequência”, conclui Utyama, que atende cerca de 300 pessoas diariamente em sua loja.

Cuidados para manusear alimentos

1. Lavar bem as mãos antes de se alimentar ou preparar os alimentos;

2. Evitar consumir alimentos à base de carne crua ou mal passada, nem mesmo os industrializados;

3. Redobrar a atenção com o preparo e cozimento da carne de frango e galinha;

4. Ter cuidado com os ovos, que devem ser bem cozidos. Lembre-se de que pratos, como a maionese feita em casa, por exemplo, incluem a adição de ovos crus como ingrediente;

5. Beber só leite pasteurizado ou fervido;

6. Lavar bem verduras, legumes e frutas. Deixe-os mergulhados em água com hipoclorito de sódio ou uma colher de chá de água sanitária (p/ cada litro de água)

7. Lave bem os utensílios de cozinha, especialmente quando usados na preparação de carnes cruas;

8. Mantenha os ovos sob refrigeração.

 

Fonte: G1 - São Paulo

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio