Sexta-feira, 12 de agosto de 2022

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - André
Anúncio - INSTITUCIONAL

Marburg: doença infecciosa 'prima' do Ebola preocupa a OMS

Publicado em 18/07/2022 às 10:30 por Editoria Movimento Saúde

Gana, na África Ocidental, confirmou os dois primeiros casos no país do mortal vírus Marburg, uma doença altamente infecciosa da mesma família do vírus que causa o ebola. Ambos os pacientes morreram recentemente no mesmo hospital, na região de Ashanti, no sul do país.

Foi verificada a presença do vírus em ambas as amostras no início deste mês em um laboratório no Senegal.

A primeira morte foi de um homem de 26 anos que foi internado em 26 de junho de 2022 e morreu no dia seguinte. O segundo caso foi um homem de 51 anos que deu entrada no hospital em 28 de junho e morreu no mesmo dia.

Autoridades de saúde do país africano dizem que 98 pessoas estão em quarentena por suspeitos de contato com os infectados.

Ainda não existe tratamento para o Marburg, mas médicos dizem que beber muita água e tratar sintomas específicos melhora as chances de sobrevivência de um paciente.

As taxas de mortalidade variaram de 24% a 88% em surtos anteriores, dependendo da cepa do vírus e do gerenciamento dos casos. Há vacinas sendo testadas, ainda na fase 1 de pesquisas.

O vírus é transmitido às pessoas por morcegos e se espalha entre humanos por fluidos corporais. É uma doença grave, muitas vezes fatal, com sintomas como dor de cabeça, febre, dores musculares, vômitos de sangue e sangramento.

As autoridades estão alertando as pessoas para se manterem longe de cavernas onde houver morcegos e cozinharem bem todos os produtos feitos à base de carne antes de consumi-los.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está dando suporte ao Ministério da Saúde de Gana na região de Ashanti. Uma equipe de especialistas do organismo internacional será enviada nos próximos dias para trabalhar na coordenação, avaliação de risco e medidas de prevenção de infecções.

Na África, surtos anteriores e casos esporádicos foram notificados em Angola, República Democrática do Congo, Quênia, África do Sul e Uganda, diz a OMS. O primeiro surto do vírus foi detectado na cidade de Marburg, na Alemanha em 1967. Das 32 pessoas infectadas nas antigas Alemanha Ocidental e Iugoslávia, sete morreram.

O vírus matou mais de 200 pessoas em Angola em 2005, o surto mais mortal já registrado, segundo a OMS.

O QUE É A DOENÇA DE MARBURG?

O vírus de Marburg é um vírus zoonótico, ou seja, pode ser transmitido de outros animais para os seres humanos. Ele faz parte da família Filoviridae, mesma família do vírus ebola. Acredita-se que o reservatório natural do vírus de Marburg seja o morcego frugívoro africano da espécie Rousettus aegyptiacus. Esse morcego é encontrado em cavernas espalhadas por toda a África.

O vírus de Marburg foi identificado pela primeira vez no ano de 1967. Na ocasião, ele foi responsável por provocar um surto de febre hemorrágica que ocorreu de maneira simultânea em laboratórios de Marburg e Frankfurt, na Alemanha, e em Belgrado, na Sérvia.

O surto iniciou-se devido ao contato de profissionais com sangue de macacos levados de Uganda para laboratórios nessas regiões. O contato ocorreu durante a realização de pesquisas para o desenvolvimento de vacinas contra a poliomielite. O vírus recebeu a denominação de Marburg, pois foi nessa região que mais casos da doença foram diagnosticados.

Após a descoberta do vírus, vários outros surtos da doença já foram registrados no continente africano, em regiões como Uganda, República Democrática do Congo, Angola, Zimbábue, Quênia e África do Sul. Surtos em regiões fora da África são raros.

A doença do vírus de Marburg é transmitida às pessoas por morcegos frugívoros e se espalha entre humanos por meio da transmissão de fluidos corporais.

Os casos são extremamente raros, com o último grande surto em Angola em 2005.

É uma doença grave, geralmente fatal, com sintomas que incluem dor de cabeça, febre, dores musculares, vômitos com sangue e sangramento.

Ainda não existe tratamento para Marburg, mas os médicos dizem que beber bastante água e tratar sintomas específicos aumenta as chances de sobrevida do paciente.

Amostras retiradas do paciente guineense, que já morreu, foram testadas em laboratórios do país e deram resultado positivo para o vírus de Marburg.

Ele foi identificado em Guéckédou na semana passada, a mesma região onde foram encontrados casos recentes de ebola, em um surto que agora acabou.

A diretora da OMS para a África, a botsuanense Matshidiso Moeti, disse que o vírus tem potencial para se "espalhar por toda parte".

Mas ela elogiou "o estado de alerta e a rápida ação investigativa dos profissionais de saúde da Guiné".

Autoridades tentam agora encontrar pessoas que possam ter estado em contato com o homem que morreu.

Quatro contatos de alto risco, incluindo um trabalhador de saúde, foram identificados, além de 146 outros que poderiam ter sido expostos ao vírus, diz a epidemiologista Krutika Kuppalli, que tem acompanhado o caso, à BBC.

Os sistemas implantados na Guiné e nos países vizinhos para controlar os recentes surtos de Ebola estão sendo retomados em resposta ao vírus de Marburg.

Na África, surtos anteriores e casos esporádicos foram notificados em Angola, República Democrática do Congo, Quênia, África do Sul e Uganda, afirma a OMS.

O primeiro surto de Marburg ocorreu na Alemanha em 1967, onde sete pessoas morreram.

O vírus matou mais de 200 pessoas em Angola em 2005, o surto mais mortal já registrado, de acordo com a OMS.

 

FONTE:  BBC News Brasil

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio