Segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - André

Participam cerca de 200 gestantes

Vacina da Pfizer começa a ser testada em gestantes no Brasil

Publicado em 02/06/2021 às 15:16 por Editoria Movimento Saúde

Foi anunciado, na semana passada, o início dos testes da vacina da Pfizer/BioNTech contra a Covid-19 em gestantes no Brasil. Serão avaliados pontos importantes, como a segurança do imunizante para a grávida, o bebê e a transferência de anticorpos.

Segundo o Ministério da Saúde, conforme parecer divulgado em abril deste ano, os benefícios da vacinação em gestantes e puérperas superam eventuais riscos de reações adversas.

As voluntárias

Cerca de 200 gestantes maiores de 18 anos e saudáveis participam do estudo brasileiro. Elas receberão duas doses do imunizante com 21 dias de intervalo. Os recém-nascidos de mães testadas pela vacina serão monitorados até os seis meses de idade.

“As voluntárias serão seguidas de forma mais direta por uma equipe médica e terão exames realizados para saber o quanto elas criam de defesas. Depois, quando nascer, nós analisamos pelo cordão umbilical o sangue da criança, vemos se as defesas foram passadas para ela, então conseguimos avaliar a segurança desse imunizante para mãe e criança, disse Eduardo Sprinz, chefe do Serviço de Infectologia do Hospital das Clínicas de Porto Alegre (HCPA), em entrevista ao portal GZH.

O HCPA é um dos quatro centros de pesquisa que estão participando do estudo no país, juntamente com a Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais e os Centros Multidisciplinares de Estudos Clínicos de São Bernardo do Campo e de Sorocaba.

Fases do estudo com a vacina da Pfizer

Os testes por aqui integrarão o ensaio mundial da Pfizer em grávidas de Fase 2/3, que testa desde fevereiro a vacina em 4 mil mulheres entre a 24ª e a 34ª semanas de gestação. Nestas etapas do estudo os pesquisadores verificam a segurança, tolerância e eficácia da vacina no público testado.

Na primeira etapa dos estudos da Pfizer, ainda em 2020, os fabricantes não incluíram as gestantes e as crianças, ressaltando que era necessário antes garantir que as vacinas fossem seguras e eficazes de maneira mais geral. Na época, a Moderna e a Pfizer até exigiram provas de um teste de gravidez negativo e um compromisso de utilizar o controle de natalidade de mulheres em idade fértil que se inscreveram como voluntárias.

Vale lembrar que as gestantes integram o grupo de risco da Covid-19, conforme esclareceu Márjori Dulcine, diretora médica da Pfizer.

“Trata-se de mais uma etapa importante no combate à Covid- 19. As grávidas têm um risco aumentado de complicações e de desenvolver a forma grave da doença. É muito importante reunirmos evidências sobre a segurança e a eficácia da vacina para este grupo pensando no binômio mamãe e bebê”, explicou Márjori Dulcine, em coletiva de imprensa.

Estudo em crianças

Em fevereiro, a Pfizer também anunciou que ainda este ano irá iniciar os testes da sua vacina com crianças entre 5 e 11 anos, mas ainda não informou a data inicial para esse estudo em questão.

Contudo, a segurança e a eficácia da vacina em adolescentes de 12 a 15 anos já estão sendo avaliados em estudos de fase 3, que devem ter os resultados divulgados no segundo trimestre deste ano.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autora: 

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá (UNESA), pós-graduada em Comunicação com o Mercado pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e em Gestão Estratégica da Comunicação pelo Instituto de Gestão e Comunicação (IGEC/FACHA)

Fonte: PEBMED

Fotos: divulgação

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio