Sexta-feira, 22 de outubro de 2021

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - André

A taxa de pacientes com câncer que morreram após desenvolver covid-19 é de 16%, seis vezes maior o índice global

Foto: Divulgação

Oncologia quer prioridade na vacinação de pacientes com câncer

Publicado em 08/03/2021 às 10:07

A Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) solicitou em carta enviada ao Ministério da Saúde a inclusão de pacientes oncológicos em todo o território nacional nos grupos com prioridade na vacinação contra a Covid-19. A defesa se baseia nas evidências científicas de que pacientes com câncer são mais vulneráveis aos riscos de complicações causadas pelo novo coronavírus.

“Trata-se de um grupo especialmente vulnerável aos efeitos da infecção e que precisa ser protegido. A SBOC representa o oncologista clínico ao cuidar dessa população em sua jornada dupla de luta contra o câncer e a Covid-19”, escreveu a presidente da SBOC, Clarissa Mathias, que assina a carta.

Restrições na prioridade

Os pacientes com câncer entram na lista das pessoas com comorbidade que integram os grupos prioritários na vacinação, mas a segunda atualização do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, de 25 de janeiro, reduziu o espectro de pacientes oncológicos restringindo-se a incluí-los na descrição do grupo de imunossuprimidos os pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses e aqueles com neoplasias hematológicas.

O plano federal também se refere ao paciente oncológico ao caracterizar os grupos de risco para agravamento e óbito por Covid-19, ao lado de pessoas com “insuficiência renal, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, diabetes mellitus, hipertensão arterial grave, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), anemia falciforme, obesidade mórbida e síndrome de Down, além de idade superior a 60 anos e indivíduos transplantados de órgãos sólidos”.

“Diante da flagrante incoerência do plano ao se referir ao paciente oncológico como grupo de risco e não incluí-lo nos grupos prioritários para vacinação, solicitamos que o Ministério da Saúde informe claramente se esse “detalhe” constará expressamente na próxima edição do documento”, pontuou o gerente jurídico da SBOC, Tiago Matos.

Evidências científicas

A vacinação dos brasileiros com diagnóstico de câncer tem sido uma preocupação da SBOC, que publicou, em janeiro, um guia com orientações sobre as vacinas aprovadas para uso emergencial no país.

Um estudo brasileiro publicado no Journal of Clinical Oncology (JCO) identificou e acompanhou 198 pacientes com câncer que desenvolveram Covid-19 entre março e julho de 2020. Destes, 33 vieram a óbito. Uma taxa de mortalidade de 16,7%, seis vezes mais que o índice global, de 2,4%.

Ainda de acordo com o estudo, a maior taxa de mortalidade foi encontrada em pacientes com neoplasias do trato respiratório (43,8%), principalmente o câncer de pulmão metastático e os tumores hematológicos, sendo que o pior prognóstico está relacionado à fase da enfermidade em que o paciente se encontra, com maior risco para quem tem câncer ativo, progressivo ou metastático.

De acordo com a presidente da SBOC, esse e outros estudos evidenciam que não apenas os pacientes imunossuprimidos estão mais susceptíveis a manifestações graves da doença, mas também aqueles em diversos outros espectros da enfermidade, sendo urgente incluí-los entre aqueles que precisam ser imunizados contra a Covid-19.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autora: Ursula Neves

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá (UNESA), pós-graduada em Comunicação com o Mercado pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e em Gestão Estratégica da Comunicação pelo Instituto de Gestão e Comunicação (IGEC/FACHA)

Referências bibliográficas:

 

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio