Quarta-feira, 4 de agosto de 2021

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - André

A forma de apresentação mais comum é o nódulo seguido de edema e descarga papilar

Foto: Divulgação

Câncer de mama em homens: o que se sabe sobre o assunto?

Publicado em 22/10/2020 às 11:00

O câncer de mama é caracterizado como uma doença multifatorial que resulta da multiplicação descontrolada e anormal de células mamárias, na qual alguns dos sintomas incluem presença de nódulo, espessamento, inchaço, distorção, sensibilidade, irritação da pele, vermelhidão, escamas e anormalidades mamilares ou secreção espontânea dos mamilos.

Segundo a nova atualização do INCA, a estimativa para câncer de mama no Brasil é de 66.280 casos novos de câncer de mama, para cada ano do triênio 2020-2022.

Apesar de raro, o câncer de mama também acomete homens e foi descrito pela primeira vez por Jhon de Aderne em 1307. É uma doença rara que representa 1% de todos os cânceres de mama (0,6 -6%) e 1% de todos os cânceres em homens.

A forma de apresentação mais comum é o nódulo seguido de edema e descarga papilar; a localização central (próximo ao mamilo) apresenta pior prognóstico devido a menor quantidade de parênquima mamário em região mamilar e por isso, a invasão linfática axilar é precoce, além da presença de metástases distantes, como doença pulmonar.

Rastreio do câncer de mama em homens

Devido a sua raridade, não existem exames de imagem para o rastreio de câncer de mama em homens o que, muitas das vezes, prejudica o tratamento pois por vezes o diagnóstico é obtido em estágios avançados. Porém, na suspeita da doença, o exame padrão-ouro é a mamografia; esse método é indicado para afastar o principal diagnóstico diferencial, a ginecomastia.

O tratamento é de acordo com estágio inicial da doença mas, na maioria das vezes, a mastectomia (retirada completa da mama) é a cirurgia de escolha. Radioterapia adjuvante tem suas indicações, é mandatória quando há preservação da mama (o que é raro no câncer de mama em homens) e em estágios avançados. A hormônioterapia adjuvante é realizada de acordo com a imunohistoquimica do tumor, tem eficácia apenas em tumores luminais.

Fonte: PEBMED

Autor(a): 

Especialista em Ginecologia e Obstetrícia • Mastologista pelo Instituto Nacional do Câncer de Mama (INCA) • Instagram: @dra.saradutra • dra.saradutra@gmail.com

Referências bibliográficas:

  • Câncer de mama – versão para Profissionais de Saúde. Disponível em: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-mama/profissional-de-saude
  • Sociedade Americana de Câncer. Câncer fatos e números. Atlanta: Sociedade Americana do Câncer; 2017.
  • Giordano SH. Uma revisão do diagnóstico e tratamento do câncer de mama Oncologista. 2005;10(7):471-479.
  • Ministério do Poder Popular para a Saúde. Registro Central de Câncer. Disponível em: www.msds.gov.ve
Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio