Sábado, 23 de janeiro de 2021

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele
Anúncio - Movimento Saúde

Somado a agentes climáticos o sistema de defesa dos idosos tende a enfraquecer, causando as temidas doenças respiratórias, consideradas a terceira maior causa de morte entre idosos

Foto: Divulgação

Doenças respiratórias na Terceira Idade: riscos e cuidados especiais

Publicado em 23/10/2020 às 09:44 por Cléo Neres

O Brasil vive um processo acelerado de envelhecimento de sua população. Segundo estimativas do IBGE, até 2025 o país estará entre as seis maiores populações de idosos do mundo e, até 2031, o número de idosos será maior do que de crianças e adolescentes.

Somado a agentes climáticos o sistema de defesa dos idosos tende a enfraquecer, causando as temidas doenças respiratórias (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC; Enfisema Pulmonar; Pneumonia; Bronquite Crônica; e Asma), considerada a terceira maior causa de mortes de pessoas acima de 60 anos em todo o mundo.

As doenças respiratórias podem surgir em qualquer época do ano, mas no inverno aumentam as ocorrências, em virtude de as pessoas tentarem se abrigar do frio mantendo os ambientes fechados, o que é um erro.

Coronavirus e a terceira idade

Desde que a pandemia do novo coronavírus chegou ao Brasil, muito se tem ouvido falar da importância de ajudar os idosos na prevenção à doença. Eles fazem parte do principal grupo de risco da infecção causada pela Covid-19, mas não por terem um risco maior de contaminação. Este risco, na verdade, não é diferente do que é visto em outras faixas etárias.

Para a terceira idade, o coronavírus pode se tornar grave, especialmente quando o idoso já tem outros problemas de saúde, como diabetes, doenças respiratórias e cardiovasculares.

Os idosos são susceptíveis à doença mais grave porque o sistema imunológico, durante o processo de envelhecimento do corpo, desenvolve a imunossenescência, que é a principal causa do aumento de riscos pela infecção grave causada pelo coronavírus e outras doenças.

O que ocorre é que A imunossenescência reduz o reconhecimento de novos antígenos, ou seja, o corpo do idoso tem dificuldade de reconhecer um novo vírus como um invasor e demora a reagir. Isso facilita o desenvolvimento de infecções e diminui a a resposta a tratamentos, inclusive à vacinação.

Veja algumas medidas que podem prevenir infecções respiratórias:

  • Tomar a vacina da gripe
  • Não fumar 
  • Lavar bem as mãos diversas vezes ao dia e sempre que chegar da rua
  • Evitar levar as mãos à boca, nariz e olhos
  • Evitar aglomerações e locais fechados, que são propícios a proliferação de microrganismos
  • Tomar água – pelo menos dois litros ao dia
  •  Dormir de 7 a 8 horas por noite
  •  Usar antibióticos somente com recomendação médica

O processo de envelhecimento requer maior entendimento das causas do aumento de doenças respiratórias na população senil, e a adoção de hábitos saudáveis, que contribuam com a longevidade e com a qualidade de vida do idoso.

Para preservar a função dos pulmões por mais tempo, é importante manter uma rotina diária de exercícios físicos, como dança, hidroginástica, pilates, esportes, além de alimentação saudável, com a inclusão de verduras, frutas e alimentos com efeito antioxidante.

É preciso ter em mente que falta de ar (dispneia), tosse ou cansaço não são normais da idade. E importante procurar um pneumologista aos primeiros sinais de doenças respiratórias, para o correto diagnóstico e tratamento adequado.

 

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio