Sábado, 24 de agosto de 2019

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele

Foto: Divulgação/PMU

Com 363 casos confirmados, Umuarama enfrenta epidemia de dengue

Publicado em 04/07/2019 às 18:28

Umuarama está em estado de epidemia de dengue. Conforme os dados da Vigilância em Saúde Ambiental do município, 363 casos confirmados da doença foram registrados na cidade ao longo do ano. O índice faz com que a Capital da Amizade fique entre os 81 municípios em situação de alerta no estado.  A incidência proporcional é de 300 casos para cada 100 mil habitantes.

Conforme o boletim semanal da dengue, divulgado pela Secretaria de Saúde do Paraná, além de Umuarama, as cidades que entraram nesta lista são Campo Mourão, Terra Boa, Brasilândia do Sul, Ivaté, Perobal, Jussara, Paranavaí, Doutor Camargo e Ivatuba.

De acordo com os dados da Vigilância, os locais da cidade que mais possuem incidência de casos positivados são a região da praça dos Xetás, a Zona 7 (perto da Catedral Divino Espírito Santo) e os bairros Sonho Meu, Laranjeiras e San Remo.

Segundo o coordenador da Vigilância em Saúde Ambiental, Carlos Roberto da Silva, não há características que se repetem entre os bairros. No entanto, o maior índice de larvas pôde ser encontrado em coletores de lixo, terrenos baldios e imóveis em situação de abandono. Além dos casos confirmados, o município registra também 1217 casos notificados de dengue. Dos casos confirmados, apenas um é importado, vindo do município de Campinas. Todos os outros 362 foram adquiridos na própria cidade.

Falta prevenção

Para Carlos Roberto, o aumento do número de casos pode ser derivado de vários fatores, como a falta de conscientização da população sobre os cuidados de prevenção; a quantidade de chuvas ocorridas durante o ano (que colabora para a água parada); o calor registrado nos últimos meses; a necessidade de mais agentes endêmicos na cidade, já que os 46 existentes muitas vezes não conseguem dar conta de toda a demanda do município; e a falta de veneno para combater o mosquito, que deveria ser enviado pelo Ministério da Saúde, mas não o foi desde meados de maio.

Para combater a dengue, o Poder Público no município está promovendo vistorias e fiscalização em todos os dias da semana, com exceção do domingo. Os agentes endêmicos também fazem o bloqueio larvário nas residências visitadas. Além disso, a Prefeitura está realizando em algumas escolas o Programa Educação em Saúde, em que se discute a problemática da dengue com as crianças das instituições de ensino. A Prefeitura também planeja uma ação integrada com outros órgãos da cidade, como os bombeiros, para realizar um mutirão na Praça dos Xetás na quinta-feira (4), que é um dos lugares com mais incidências de dengue no município.

 “Nós estamos fazendo o que é possível, porém, a população precisa se conscientizar e ter discernimento de que precisa fazer a limpeza dos imóveis para evitar que o mosquito se prolifere. O principal cuidado é verificar constantemente se há água parada; e caso haja, é necessário limpar o local retirando a água dos objetos”, ressalta Carlos Roberto.

(OBemdito)

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio