Segunda-feira, 21 de outubro de 2019

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele

O médico Reinaldo de Souza atende alergia e imunologia

Foto: Danilo Martins

Dermatite atópica pode evoluir para asma ou rinite. Procure atendimento especializado

Publicado em 02/06/2019 às 21:28 por Rosi Rodrigues
A dermatite atópica é uma inflamação da pele de origem alérgica que causa vermelhidão, lesões e coceiras que variam de um pequeno incômodo até feridas que exigem internação para tratamento. Não é raro ser confundida com “brotoejas” provocadas pelo calor, porém a doença pode ser um sinal de que algo não vai nada bem no organismo.
De acordo com o médico que atende alergia e imunologia, Dr. Reinaldo de Souza (CRM-PR 25568), mais da metade das pessoas que tiveram dermatite atópica na infância podem sofrer de asma ou renite.
 
“Não é coincidência. Os mecanismos de ação da asma, da rinite e da dermatite atópica são praticamente os mesmos, mudando apenas a parte do organismo em que eles se manifestam”, explica o médico.
A dermatite atópica pode ser confundida com brotoejas do calor em bebês. Porém, as lesões podem se agravar e o ideal é procurar atendimento especializado
Segundo ele, os primeiros sinais da dermatite atópica são manchas avermelhadas nos bebês. É uma doença inflamatória da pele caracterizada por lesões avermelhadas que causam coceira, localizadas geralmente na face das crianças pequenas e nas dobras do joelho e cotovelo das crianças maiores e dos adultos.
 
“É comum, meses depois que os bebês manifestam a dermatite atópica, começarem a apresentar dificuldades para respirar e ‘chiados no peito’. Por volta dos quatro anos de idade a asma é diagnosticada. Depois dos sete anos de idade, a maioria das crianças que tiveram a dermatite apresentam quadros frequentes de rinite”, diz o doutor Reinaldo.
 
As lesões podem evoluir, transformando-se em feridas que necessitam de internação hospitalar para o tratamento 
 
Causas e diagnóstico
 
A dermatite atópica pode ser desencadeada por alérgenos do ar, como ácaros, pelos de animais e alimentos como ovo, leite, trigo e soja.  Para o médico, o aumento do sedentarismo também pode ter sua parcela de culpa.
 
“O sistema imunológico enfraquece quando não praticamos atividades ao ar livre. As crianças atuamente ficam muito dentro de casa, presas as vídeos games e computadores, permanecendo mais tempo em contato com a poeira doméstica que contém partículas capazes de despertar as alergias. Asma dermatite e renite também podem ter gatilhos comuns, como fumaça de cigarro, doenças infecciosas e estresse emocional”, destaca.A dermatite atópica pode ser desencadeada por alérgenos do ar, como ácaros e pelos de animais
 
A hereditariedade é outro fator de risco. “Quando um dos pais apresenta rinite, asma ou dermatite atópica, o risco de desenvolver uma das condições é 25% maior – chance que dobra caso os dois pais sofram de uma das três manifestações alérgicas”, diz o médico.
 
A maioria das pessoas que tiveram dermatite atópica quando bebês, posteriormente desenvolveram asma ou rinite alérgica. Os mecanismos desencadeantes das doenças são os mesmos 
 
O diagnóstico é realizado através de exame clinico, testes alérgicos e laboratoriais.  “O quanto antes a dermatite atópica for diagnosticada corretamente, mais rápido e eficiente será o tratamento, pois os fatores ambientes interferem muito na ação e resultados dos medicamentos”, alerta o médico.A dermatite atópica, apesar da incidência menor, também acomete adultos
 
Tratamento
 
O tratamento da dermatite atópica é feito com medicamentos via oral e tópico. Quando apresenta sintomas de asma além do tratamento oral, são utilizados medicamentos por via inalatória e imunoterapia quando indicado corretamente.O tratamento pode ser via oral, tópico ou inalatório, no caso de sintomas de asma 
 
O controle ambiental é indispensável. “Para o controle do ambiente, deve-se evitar o contato com alérgenos, principalmente poeira doméstica, fungos e substâncias irritantes como produtos químicos em geral”, recomenda o doutor Reinaldo.
 
Segundo ele, quando se identifica o alérgeno desencadeante, o tratamento imunoterápico tem apresentado resultados surpreendentes. “O ideal é procurar um médico qualificado assim que os primeiros sinais da dermatite atópica aparecerem. Quando o alérgeno desencadeante é identificado precocemente e retirado do ambiente ou dos hábitos do paciente, isso pode evitar o aparecimento da asma ou da rinite, proporcionando mais saúde e qualidade de vida”, reitera. 
 
SERVIÇO
 
O médico Reinaldo de Souza (CRM-PR 25568) atende as áreas de alergia e imunologia na Clínica Aptus. Avenida São Pedro, 4660 – Fone: (44) 3624-5243 – Umuarama-PR. Acesse: @Clinicaaptusumuarama
Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio