Sexta-feira, 23 de agosto de 2019

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele

A missão foi liderada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que avalia um pedido de registro do Tecpar para o produto.

Foto: Agência Estadual de Notícias

Tecpar avança no processo para produzir a vacina pentavalente

Publicado em 21/05/2019 às 09:57

Representantes do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) participaram de uma missão técnica para auditar as Boas Práticas de Fabricação da empresa indiana que fornece ao Ministério da Saúde a vacina pentavalente. Essa é uma das etapas para que o instituto possa produzir o medicamento, a pedido do ministério, para as campanhas de vacinação nacionais.

A missão foi liderada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que avalia um pedido de registro do Tecpar para o produto.

A vacina pentavalente garante a proteção contra a difteria, tétano, coqueluche, a bactéria Haemophilus influenza tipo b (responsável por infecções no nariz e na garganta, entre outros) e, ainda, contra a hepatite B.

Atualmente, a vacina é adquirida por meio do Fundo Rotatório da Organização Panamericana das Américas (OPAS), que importa parte da demanda da empresa indiana Biological E.

O Tecpar iniciou um projeto de registro com a Biological, uma das principais fornecedoras da vacina para o SUS. Por isso, a diretora comercial do Tecpar, Danielle Portela, e a farmacêutica Carolina Perottoni acompanharam a auditoria.

“Participar da auditoria em Boas Práticas de Fabricação de um fornecedor é uma das etapas para a obtenção do registro junto à Anvisa. Com o documento, o Tecpar poderá fornecer o medicamento ao SUS”, explica Carolina.

A diretora comercial destaca que com o registro, o instituto fornecerá vacina ao Ministério da Saúde por meio de encomenda tecnológica. “Isso significa que, em um primeiro momento, o Tecpar forneceria o insumo do parceiro, a Biolgical, para que, com a transferência de tecnologia, tenha acesso a toda produção”. Ela acrescenta que produzir a vacina no Brasil será fundamental para dar mais segurança à imunização das crianças.

Desde 2012, o Programa Nacional de Imunização (PNI) oferta a vacina pentavalente no calendário de vacinação. As crianças devem tomar três doses da vacina – aos dois, quatro e seis meses de idade.

Fonte: Agência Estadual de Noticias do Paraná

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio