Sábado, 16 de fevereiro de 2019

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Fabio de Carvalho
Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Renilde

Os especialistas estão preocupados. Muitas pessoas que tinham direito à vacina gratuita, não procuraram os postos de saúde e estão sem proteção

Foto: Ilustração

Número de mortes por gripe cresce 163% no Paraná

Publicado em 09/08/2018 às 12:37 por Rosi Rodrigues

A Secretaria Estadual de Saúde do Paraná – Sesa confirmou que mais 10 pessoas morreram no período de uma semana, vítimas de gripe no Estado. Somente este ano já foram registradas 87 mortes por gripe, 163% a mais que no mesmo período de 2017, quando foram registrados 33 óbitos no Paraná em decorrência da doença. A situação preocupa as autoridades e profissionais de saúde.

Do total de 87 mortes no ano, 43 são pelo vírus da influenza A(H3), 39 são pelo vírus A(H1N1), 17 pela influenza B e outras 39, segundo a Sesa, ocorreram por pacientes contaminados por vírus de influenza A não subtipado.

Pinhão, na região central do Paraná, e Foz do Iguaçu, no oeste do estado, tiveram duas mortes confirmadas. Já as cidades de Araucária, Cascavel, Cianorte, Nove Esperança, Prudentópolis e Turvo, registraram uma morte.

Os municípios com o maior número de casos fatais da doença neste ano são Curitiba, com 13 mortes, Londrina, com 11, e Foz do Iguaçu, com sete óbitos.

 

 

BAIXA COBERTURA VACINAL

Para os especialistas, o número crescente de mortes está associado a baixa cobertura vacinal. Aproximadamente 75% das pessoas que têm direito a vacina e que compõem os grupos de rico estipulados pelo Ministério da Saúde foram se vacinar nos anos de 2017 e 2018, nas cidades abrangidas pela 12ª Regional de Saúde

A eficácia da vacina é consenso entre os especialistas. “A vacina é eficaz, é segura e produzida com toda seriedade e sob rígido controle e inspeção do setor de imunização do Ministério da Saúde. Nós médicos devemos orientar nossos pacientes em consultório a tomar sim a vacina e ajudar a combater boatos e crendices de que a vacina é perigosa ou ineficaz”, disse o médico pneumologista Ronaldo de Souza, que é presidente da Associação Médica de Umuarama, em recente encontro com médicos da região. 

 

VACINA É OBRIGATÓRIA PARA ESTUDANTES NO PARANÁ

Diante do quadro preocupante da baixa imunização, o Governo do Estado do Paraná, através de uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde e Secretaria de Estado da Educação, tornou obrigatória (Lei 19.534/2018) a apresentação da carteira de vacinação, em dia, para todos os alunos da Rede Estadual de Ensino, com menos de 18 anos de idade, a partir do ano letivo de 2019. Quem for matricular os filhos precisa se apressar e colocar as vacinas em dia.

 

 

 

 

Com informações do G1

 

 

 

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio