Quarta-feira, 8 de julho de 2020

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Fabio de Carvalho
Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele
Anúncio - Movimento Saúde

Brasil registra recode em casos de mortes de enfermeiros

Publicado em 28/05/2020 às 16:00

Brasil registra recode em casos de mortes de enfermeiros

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde (MS), na terça-feira (26/05), o Brasil registrou o recorde mundial em casos de mortes de enfermeiros pelo novo coronavírus (Covid-19). Até a data, o País teve mais de 150 óbitos de profissionais de enfermagem, sendo que 16.660 foram contaminados pela doença. Os dados foram encaminhados por um grupo de especialistas composto por infectologistas da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Os médicos dessa iniciativa compõem um conselho que assessora o MS, em meio à pandemia.

Segundo o conselho, o impacto da pandemia de Covid-19 nos profissionais traz o risco de que os serviços de saúde se tornem epicentros de surtos locais. Devido ao atual cenário, os infectologistas ainda alertaram que há possibilidade de um colapso no Sistema Único de Saúde (SUS), caso medidas em relação aos enfermeiros que atuam na linha de frente no combate ao novo vírus não sejam implementadas.

Nesse sentido, o grupo defende o afastamento temporário dos profissionais de enfermagem que pertencem ao chamado grupo de risco da assistência direta aos pacientes, monitoramento diário em relação aos sintomas e o treinamento para a utilização de equipamentos de proteção individual (EPI). As informações são da coluna da jornalista Mônica Bergamo.

Além disso, o conselho também evidenciou a necessidade da prioridade de atendimento para os profissionais infectados, pois, dessa forma eles podem retornar rápido ao trabalho, que é absolutamente necessário no âmbito da manutenção da saúde da população, sobretudo em meio à pandemia.

Saúde mental

Vale destacar que, além da questão física, muitos países que foram epicentros da pandemia também registraram muitos problemas relacionados à depressão, ansiedade e danos psicológicos nos profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate ao novo coronavírus.

Recentemente, um estudo realizado pela Universidade Católica do Sagrado Coração de Milão, na Itália, divulgou um levantamento que constatou que sete em cada 10 profissionais da saúde nas regiões mais afetadas daquele país estavam esgotados, sendo que 90% sofreram com estresse psicológico.

Muitos enfermeiros, por exemplo, citaram um aumento da irritabilidade, problemas com insônia e terrores noturnos, além de crises emocionais constantes. De acordo com a pesquisadora do estudo, Serena Barello, o estresse que já é comum em profissões que atuam no sistema de saúde foi exacerbado com o aumento demasiado da carga de trabalho, além das difíceis condições e as incertezas.

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio