Sexta-feira, 15 de novembro de 2019

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Fabio de Carvalho
Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele
Anúncio - Movimento Saúde

O perigo de não se vacinar pode deixar sequelas e marcas na família para resto da vida.

Foto: Divulgação

Dia Nacional da Vacinação destaca a importância da vacina contra o sarampo

Publicado em 18/10/2019 às 07:39

O perigo de não se vacinar pode deixar sequelas e marcas na família para resto da vida. Foi o que aconteceu com Neusa Costa, que durante uma epidemia de sarampo no final de 1960 na cidade onde vivia, ela perdeu cinco irmãos. “Meus irmãos morreram praticamente no mesmo tempo, eu era muito nova, mas me lembro de muitos caixões na casa e muito sofrimento. Naquela época, eu não entendia realmente o que estava acontecendo, nem tinha ideia da gravidade do sarampo”, lembra.

 

O trauma das perdas deixou marcas para a vida toda em Neusa, que hoje é uma das maiores incentivadoras da vacinação. “Tenho dois filhos e hoje reconheço mais do que nunca a importância da vacinação. Desde pequenos eu acompanhava todas as campanhas de vacinação, a história que carreguei me serviu de exemplo para vida toda. Eu não tive infância, nunca tive brinquedos e toda minha infância foi marcada por essas tragédias. Não desejo isso para eles e nem para ninguém”, explica.

Neusa ressalta a importância da vacinação e alertou que essa é uma das medidas mais importantes de prevenção contra doenças. “As pessoas costumam dar o jeitinho brasileiro, deixam as doenças piorarem para depois procurar o médico. Acham que sarampo é uma doença boba e nem procuram saber do que se trata. Os pais precisam vacinar os filhos. É uma questão de saúde pública, não podemos admitir que alguém morra de sarampo nos dias de hoje”, esclarece.

Dia na imunização 

E para destacar a importância dessa data, hoje, 17 de outubro, é celebrado o Dia Nacional da Vacinação. A data foi criada pelo Ministério da Saúde, para promover uma reflexão sobre como a vacina pode salvar vidas, já que muitas doenças deixaram de ser um problema de saúde pública no Brasil graças as estratégias de vacinação promovidas pelo Programa Nacional de Imunizações. 

Doenças como poliomielite, rubéola e o tétano neonatal são alguns exemplos de enfermidades que, com o surgimento das vacinas, desapareceram da nossa história. Mas, infelizmente, o desconhecimento por parte da população da importância da vacinação, pela ausência de muitas dessas doenças e a propagação das chamadas Fake News, notícias falsas que acabam criando um movimento contrário a vacinação, tem criado um cenário de queda na cobertura vacinal no Brasil e acendido alertas sobre risco da reintrodução dessas doenças em todo país, como é o caso do sarampo.

Campanha

Lançada no início deste mês, a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo prioriza dois grupos. O primeiro vai de 7 a 25 de outubro e irá vacinar crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade, com o dia D de vacinação no dia 19 de outubro, o dia que todos os postos se mobilizam para vacinar. Já o segundo grupo, previsto para iniciar no dia 18 de novembro, será direcionado para adultos na faixa etária de 20 a 29 anos que não estão com a caderneta de vacinação em dia.

 

Fonte: Blog da Saúde

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio