Sábado, 26 de setembro de 2020

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele
Anúncio - Movimento Saúde

Transtorno de ansiedade: mitos e verdades

Publicado em 27/02/2018 às 14:03 por Rosi Rodrigues

A ansiedade é um sentimento natural do ser humano. Sendo uma emoção difusa, que tenta prever e solucionar possíveis problemas do futuro, a ansiedade só é benéfica na quantidade certa: quando excessiva, torna-se uma sensação patológica e traz inúmeros prejuízos para a saúde mental das pessoas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o Brasil é o país com maior incidência de pessoas com transtornos de ansiedade no mundo, atingindo 9,3% da população nacional. A taxa é três vezes superior à média mundial.

Os transtornos de ansiedade (entre eles, Síndrome do Pânico, Fobia Social, Estresse Pós-Traumático e Distúrbio de Ansiedade Generalizada) são considerados doenças que devem ser tratadas com a mesma importância das enfermidades físicas. A saúde do corpo e da mente andam juntas, e é preciso cuidar de ambas para desfrutar de uma vida equilibrada.

Em tempos nos quais as pessoas convivem com a ansiedade em níveis elevados, é hora de desvendar o que é mito e o que é verdade a respeito dos transtornos de ansiedade:

A ansiedade patológica pode manifestar sintomas físicos?

VERDADE. Os sintomas físicos costumam se manifestar durante as crises de ansiedade e incluem complicações gastrointestinais (prisão de ventre, diarreia, gastrite, úlceras), sudorese, tensão muscular, formigamentos, tremores e palpitações repentinas (o que leva muitos pacientes a acreditarem que sofrem de problemas cardíacos, antes de suspeitar de origens psicológicas).

Na maioria dos casos, muitos sintomas comportamentais se manifestam antes do surgimento dos sintomas físicos. Se você se sente constantemente preocupado ou agitado, alimenta pensamentos negativos automáticos, tem dificuldade para esperar, está sempre movimentando as pernas ou evita determinados locais/situações que lhe provocam desconforto, fique atento: estes sinais podem caracterizar ansiedade patológica. Procure auxílio profissional antes mesmo dos sintomas físicos aparecerem.

Ansiedade está necessariamente associada àtimidez excessiva?

MITO. É muito comum que as pessoas entendam os transtornos de ansiedade como extensão de um problema prévio com a timidez. Existem pessoas tímidas que enfrentam bloqueios sociais agravados por conta da ansiedade – mas esta não é a regra. Ansiedade e timidez são problemas distintos, que não necessariamente se manifestam demaneira combinada. A timidez é caracterizada pelo desconforto em interagir com outras pessoas, mas pode não levar ao medo de exposição pública ou manifestar sintomas de ansiedade ao encarar situações sociais.

O consumo de determinadas substâncias pode potencializar a ansiedade?

VERDADE. A ansiedade em grau patológico deixa o corpo num estágio de agitação mais intenso do que o natural, e o consumo de substâncias estimulantes potencializa esta sensação – podendo, inclusive, desencadear uma crise de ansiedade. Café, chá preto, achocolatados e refrigerantes são bons exemplos de bebidas que influenciam no funcionamento dos neurotransmissores e, se combinados com outros fatores ou consumidos em excesso, podem estimular o organismo de maneira exagerada. Recomenda-se que pessoas que enfrentam problemas com ansiedade consumam tais substâncias em doses reduzidas.

Com o tempo, o transtorno de ansiedade passa espontaneamente?

MITO. Quando uma pessoa se sente mal por conta de ansiedade, é importante não mascarar a real gravidade do problema. A ansiedade enquanto fenômeno natural é de fato passageira, com alívio dos sintomas assim que o problema em questão é solucionado. Entretanto, a ansiedade patológica torna-se uma constante na mente do paciente, que precisa de auxílio profissional para reconhecer e tratar o transtorno.

Pode haver necessidade de usar medicamentos para tratar ansiedade?

VERDADE. Cada quadro de transtorno de ansiedade é único, vinculado ao organismo e às vivências próprias de cada pessoa. Para alguns, o acompanhamento psicoterápico é suficiente – para outros, a terapia deve ser acompanhada de intervenção psicofarmacológica indicada por psiquiatra ou neurologista.

O excesso de ansiedade ocorre somente na vida adulta?

MITO. É importante lembrar que os transtornos de ansiedade atingem pessoas de todas as idades. É comum que o cuidado à criança ansiosa seja negligenciado, pois o quadro é automaticamente associado à vida adulta. Além disso, as crianças ainda estão aprendendo a assimilar suas emoções e a se expressar para o mundo, fazendo com que os sintomas da ansiedade sejam ainda mais difíceis de serem identificados.

Exercícios respiratórios podem ajudar durante crises de ansiedade?

VERDADE. Durante uma crise de ansiedade, retomar a calma pode ser um verdadeiro desafio. Um ótimo exercício é praticar a respiração lenta e profunda, inspirando ar pelas narinas e movimentando o músculo do diafragma durante a respiração. Repetir a prática de maneira consciente, ao longo de 3 a 7 minutos, devolve a oxigenação adequada ao cérebro e ajuda a pessoa a retomar o controle racional de seus pensamentos.

O transtorno de ansiedade é inato ao indivíduo?

MITO. Encarar a ansiedade patológica como uma característica imutável da personalidade de algumas pessoas é prejudicial para o tratamento e recuperação dos pacientes ansiosos. É necessário entender a ansiedade como um problema de saúde igual a todos os outros aos quais estamos todos sujeitos. A ansiedade deve ser tratada de forma séria e responsável.

 

Fonte: agemed.com.br 

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio