Quinta-feira, 15 de novembro de 2018

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Fabio de Carvalho
Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Renilde

Viviane recuperou a auto-estima e a confiança e mudou de vida depois da cirurgia plástica. Agora vive de bom humor e conquistou vitórias que antes nem sonhava

O caso da paciente que tinha vergonha de fazer plástica

Publicado em 02/08/2017 às 16:34 por Rosi Rodrigues

Plástica sem tabu

O cirurgião plástico, Dr. João Manoel Moreira* (CRM/PR 21.983 RQE 1.448 CRM/PR 21.983 RQE 1.448)  é dos colunistas do Movimento Saúde. Periodicamente publica artigos e crônicas, casos da literatura médica ou vivencias do dia a dia do consultório. O objetivo é desmistificar a Cirurgia Plástica.

Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, para o médico esse ramo da medicina tem como objetivo maior proporcionar qualidade de vida de devolver a saúde física e emocional aos pacientes.

O primeiro caso é o da paciente que descobriu toda a sua força e poder depois que quebrou um velho tabu. Ela não acredita mais que cirurgia plástica é coisa de pessoas fúteis, mas de quem busca mais qualidade de vida e felicidade.

O caso da paciente que tinha vergonha de fazer plástica

Viviane* teve seu nariz quebrado por uma cotovelada durante uma partida de vôlei quando tinha apenas 16 anos de idade. O trauma físico a deixou com problemas de respiração que foram se agravando com o tempo. Ela também tinha depressão, baixa auto-estima e não aceitava a auto-imagem. Aos 30 anos, a paciente resistia a ideia da cirurgia plástica, que resolveria não só o problema funcional, mas lhe devolveria a harmonia facial. Tímida, insegura e descontente com a própria aparência, Viviane tinha dificuldades de manter relacionamentos, era isolada e quase não tinha amigos. Para ela, cirurgia plástica era coisa de gente fútil e resistiu muito até a primeira consulta. Viviane conheceu então as inúmeras aplicações e benefícios. Compreendeu que muito além da estética, a cirurgia plástica tem como objetivo maior proporcionar bem-estar físico, mental e emocional. Pouco tempo depois passamos pelo processo cirúrgico. Sua recuperação foi rápida e tranquila. Dois anos depois, Viviane voltou ao nosso consultório. Feliz, com a auto-estima lá em cima, nem de longe parecia a pessoa triste e deprimida da primeira consulta. Os problemas de respiração acabaram. Ela dorme bem, tem fôlego e disposição para praticar atividades físicas e vive de bom humor. Recentemente conquistou um cargo de liderança na empresa em que trabalha e está de casamento marcado. Viviane confessou que nem sonhava com algumas conquistas que alcançou depois da cirurgia que mudou a sua vida.

*O nome é fictício. A identidade e a privacidade dos pacientes será sempre prioridade desta coluna.

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio