Terça-feira, 5 de julho de 2022

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - André
Anúncio - INSTITUCIONAL

Homem sem interesse sexual é normal? Urologista responde!

Publicado em 19/04/2022 às 09:56 por Editoria Movimento Saúde

Homem só pensa em sexo! Há uma explicação para essa afirmação. “É que desde a puberdade, a produção de testosterona, o hormônio sexual masculino, é intensa, o que faz com que eles ‘só pensem naquilo’ e isso é absolutamente normal”, explica o médico urologista, Dr. André Garcia (CRM/PR 25.770 / RQE 20.247). 

Mas, e quando esse desejo sexual parece chegar ao fim, também é normal? “A aceitação desse momento é mais difícil, mas vai chegar para todos. O que precisa avaliar é se há algo que esteja acelerando a queda da libido masculina”, aponta o especialista.

Problemas hormonais

Sendo a testosterona o principal hormônio masculino, quando ela atinge níveis irregulares no organismo, pode provocar a redução do desejo sexual. “Quando a testosterona se apresenta em quantidades abaixo do normal, há uma ativação menor dos receptores responsáveis pela libido no cérebro, resultando na queda do desejo sexual”, esclarece o médico.

A irregularidade hormonal também está ligada a diversos fatores. O mais comum é o envelhecimento natural do organismo, que causa a Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino (DAEM), ou simplesmente Andropausa. Um dos sintomas é a diminuição da testosterona. “Esse processo de envelhecimento tem como consequência a queda da libido e a dificuldade de ereção, e embora esse seja o foco das preocupações masculinas, a testosterona baixa acarreta também um cansaço extremo, sonolência ou insônia, desânimo, levando muitas vezes à depressão, além do aumento da gordura corporal”, elenca o urologista.

Outros fatores

Homens em tratamento de câncer, como a radioterapia e quimioterapia, podem sofrer alterações hormonais, provocadas pelo uso de medicamento que afete a produção da testosterona.

A obesidade é outro fator que pode interferir na produção do hormônio.  “O excesso de tecido adiposo, que armazena muita gordura, altera o funcionamento da hipófise, assim como dos testículos e do sistema reprodutivo, e isso inibe a produção da testosterona. Então, indiretamente, cuidar do peso é importante para prolongar a vida sexual ativa”, pondera.

Doenças como diabetes e hipertensão, além do sedentarismo, tabagismo e consumo excessivo de bebidas alcoólicas também são prejudiciais ao bom desempenho sexual masculino.

Medos e frustrações

Conforme explica Dr. André, quando o homem começa a apresentar problemas de ereção, é comum que uma certa frustração e medo de ‘não funcionar’ tomem conta de seu estado psicológico. Essa ansiedade leva ao estresse, apontado pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) como o principal sintoma da falta de desejo sexual nos homens. Esses fatores somados não ajudam nessas horas. “Uma coisa leva a outra. O medo de não ter um bom desempenho, de falhar, desmotiva as relações sexuais, o que também contribui para diminuir a libido”.

Não adianta alimentar medos e frustrações sem procurar ajuda médica. “São muitas as causas da queda da libido, por isso é fundamental que, quando o homem comece a perceber que seu interesse pelo sexo não está normal, procure o urologista para avaliar, investigar e tratar o problema, que seja físico, seja psicológico, tem solução em grande número dos casos”, tranquiliza Dr. André Garcia.

Dr. André Garcia - Urologista

Foto: Hudson Fernando/divulgação

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio