Segunda-feira, 18 de outubro de 2021

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - André

Dra. Ana Maria A. Kato

Alterações no preventivo feminino devem ser investigadas minuciosamente

Publicado em 18/05/2021 às 11:08 por Editoria Movimento Saúde

Toda alteração no exame preventivo da saúde íntima feminina deve ser investigada a fundo. O exame de Colposcopia é indicado após identificadas alterações no exame clínico da paciente ou no resultado do Papanicolau – exame de diagnóstico e prevenção do câncer do colo do útero.

“Contudo, o preventivo feminino vai muito além desse exame”, afirma a médica ginecologista, especialista em Colposcopia, Ana Maria A. Kato (CRM-10.682). Segundo ela, o primeiro passo é a consulta clínica, durante a qual a médica faz a anamnese da paciente, ou seja, a pesquisa sobre seus hábitos sexuais e estilo de vida e intercorrências como sangramentos fora do período menstrual, dores antes ou após a relação sexual, entre outras.

No exame ginecológico, propriamente dito, são observadas alterações na mucosa da vulva e do colo do útero, secreções e coletado o Papanicolau, que é enviado para análise laboratorial, mas o olhar clínico pode determinar antecipações na conduta médica. “Mesmo antes do resultado do Papanicolau, o ginecologista pode solicitar o exame de Colposcopia, baseando-se em alterações visíveis ou no histórico da paciente”, relata.

A COLPOSCOPIA

O exame tem nome complicado, mas é bem simples, não dói e não é invasivo. A Colposcopia é um exame clínico da região genital da mulher a partir de uma lente de aumento com visão microscópica. O equipamento possui um filtro de cores que fornece ao especialista imagens com dimensões personalizadas e possibilita analisar os tecidos desses órgãos e diagnosticar lesões benignas (inflamações) e pré-malignas que antecedem o câncer, bem como lesões malignas. Auxilia também no diagnóstico de pequenos vasos sanguíneos anormais no colo do útero.

“A colposcopia também pode identificar doenças como inflamação do colo do útero, dor pélvica, pólipos benignos, sangramentos e verrugas genitais no colo do útero, geralmente causadas pelo vírus do HPV. Caso sejam identificadas lesões, biópsias podem ser realizadas durante o exame. O que pode ocorrer é incômodo após a realização de biópsia”, reitera a médica.

Exame simples e rápido

A Colposcopia é realizada no próprio consultório médico e geralmente dura de 10 a 20 minutos. “A mulher que faz o exame de Papanicolau sistematicamente, todos os anos, dificilmente chega em uma doença como o câncer de colo uterino. Ela sempre será tratada na fase pré-câncer”, explica a Dra. Ana Kato.

A médica aponta que é preciso salientar essa simplicidade para desmistificar e acabar com possíveis medos das mulheres, que impedem os devidos cuidados. E orienta que as pacientes fiquem atentas às mudanças no corpo, assim como para dores e sangramentos durante a relação sexual, corrimento, sangramento fora do período menstrual. “São sintomas de possíveis complicações no colo do útero. Procure um especialista”, aconselha.

Lois Longui

Jornalista

Movimento Saúde

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio