Sábado, 16 de outubro de 2021

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - André

Dr. Rodolfo de F. Carvalho

“A maioria das mortes por doenças cardiovasculares poderiam ser evitadas”, afirma cardiologista 

Publicado em 17/05/2021 às 14:38 por Editoria Movimento Saúde

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 17,5 milhões morrem todos os anos no mundo em decorrência de doenças cardiovasculares, sendo essa a principal causa de óbitos no mundo. No Brasil, são cerca de 350 mil mortes por ano e os números vêm crescendo. A maioria dessas mortes poderiam ser evitadas com prevenção e controle”, afirma o cardiologista Dr. Rodolfo de F. Carvalho (CRM -32.985).
De janeiro a maio de 2021 já foram registradas 151 mil mortes somente no Brasil pela mesma causa, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia. A falta de controle da pressão arterial é o maior fator de risco. No Dia Mundial da Hipertensão, o alerta do Dr. Rodolfo é sobre a importância do controle da pressão arterial.
“Menos de 30% das pessoas hipertensas fazem o controle correto da pressão arterial”, ressaltou o médico. Segundo ele, “a maioria das pessoas só procura o cardiologista quando tem sintomas, o que é preocupante".
De acordo com o especialista, a hipertensão arterial é uma doença silenciosa, pois não causa sintomas e é progressiva. Não tem cura, mas pode ser controlada e suas consequências mais graves, evitadas. Além disso, tanto para tratamento pós-diagnóstico como para prevenir a doença, é importante mudanças de hábitos e estilo de vida. 
“Adotar uma dieta saudável com menos sal, evitar consumo excessivo de bebidas alcoólicas, não fumar, praticar exercícios físicos regularmente e tomar medicamentos podem ajudar a baixar a pressão arterial. A hipertensão é uma doença ligada diretamente aos hábitos de vida.

A HIPERTENSÃO
Uma pessoa é considerada hipertensa quando os níveis de pressão arterial estão acima de 14 por 9 (≥ 140 e/ou 90mmhg).  A hipertensão não tem cura, mas tem controle, e uma vez controlada o paciente poderá viver muito bem e com qualidade de vida, porém, por ser uma doença multifatorial ela é considerada o principal fator de risco para doenças do aparelho cardiovascular, como: cardiopatia, insuficiência renal crônica, AVC, infarto.
 “As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no Brasil e no mundo, por isso, é importante levar o acompanhamento a sério”, reiterou o especialista. 

O diagnóstico precoce salva vidas

DIAGNÓSTICO PRECOCE
De acordo com o cardiologista o diagnóstico precoce salva vidas. Se o paciente tem pressão alta, mesmo que não sinta nenhum desconforto, é importante e necessário consultar um especialista o quanto antes. 
“Alguns pacientes conseguem controlar a doença mudando seus hábitos de vida, emagrecendo, se alimentando melhor e praticando exercícios, nesses casos, há grandes chances de não haver necessidade de uso contínuo de medicamentos, já outros, precisam tomar remédios pelo resto da vida”, explica. 
Muitos casos estão associados a idade. “Quanto mais velhos ficamos, mais a pressão arterial aumenta”, reitera o médico.
As mulheres sofrem mais com a hipertensão que os homens, e isso se relaciona também com o estresse – uma das principais causas da hipertensão. Outros fatores são o consumo excessivo de álcool, sedentarismo, obesidade, excesso de sal, tabagismo e a hereditariedade. 
“Quem tem casos de hipertensão na família, casos de doenças cardiovasculares, deve ficar ainda mais atento, pois a hereditariedade é um fator de risco bem presente no diagnóstico. O ideal é fazer o acompanhamento médico e seguir as orientações do seu especialista”, recomendou o médico.  


______
ASSESSORIA DE IMPRENSA
Associação Médica de Umuarama

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio