Sexta-feira, 25 de setembro de 2020

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele
Anúncio - Movimento Saúde

Salmão, alho, azeite e o que mais você deve comer para a saúde do coração.

Publicado em 10/03/2018 às 08:45 por Rosi Rodrigues

De acordo com a Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), as doenças cardiovasculares são as que mais matam no mundo. Um relatório da OMS (Organização Mundial da Saúde) ainda aponta que a doença cardíaca isquêmica, um tipo de cardiopatia, é a principal causa de morte no mundo. Culpa, muitas vezes, de hábitos que adquirimos ao longo da vida e nos deixam com a pressão arterial alta, diabetes, peso e circunferência abdominal acima do indicado, entre outros fatores. Uma alimentação saudável, no entanto, tem o poder de ajudar na hora de virar esse jogo.

Abaixo, João Vicente da Silveira e Augusto Scalabrini Neto, ambos cardiologistas do Hospital Sírio Libanês (SP); além de Marcelo Sobral, cirurgião cardíaco da Beneficência Portuguesa de São Paulo (SP); Henrique Gontijo, cardiologista do Hospital Ibiapaba CEBAMS (MG) e Marisa Coutinho, nutricionista da rede de hospitais São Camilo de São Paulo (SP) listam os melhores e piores alimentos para a saúde do coração.

 

Coloque no cardápio

 

 

Alho

Além de ótimo para reduzir o uso do sal na comida, já que dá um gostinho ao alimento, uma  pesquisa brasileira descobriu que um composto ativo do alho, chamado alicina, pode reduzir o colesterol e diminuir os riscos de infarto agudo no miocárdio. Basta consumir no máximo dez gramas ao dia, cerca de três dentes grandes, ou até seis gramas na versão em pó.

 

 

 

Azeite

Possui substâncias antioxidantes que diminuem a síntese do LDL, responsável pelo acúmulo de gordura nas paredes das artérias do coração. A versão extravirgem contém menor acidez, mantendo assim seus nutrientes íntegros por não passar por refinamento químico. Faz bem, mas use com moderação (até duas colheres de sopa por dia). 

 

 

 

Vinho

Possui polifenóis, como o resveratrol, que protegem o coração e impedem a formação de placas de gordura nas artérias e vasos sanguíneos, além de melhorar a elasticidade das veias e a circulação. Sua concentração varia em cada tipo de vinho. Se não tiver contraindicação ao consumo de álcool, tome de forma regular e moderada (até 200ml/dia), sempre nas refeições. 

 

 

 

 

Suco de uva integral

 Além do resveratrol, a versão integral possui arginina, aminoácido responsável por melhorar a circulação sanguínea, com benefícios para quem sofre de pressão arterial alta e doenças cardíacas. Apenas cheque se é realmente natural, pois versões em néctar ou em caixinha têm mais açúcar. Consuma diariamente, mas sem extrapolar por conta das calorias.

 

 

 

Acerola

Fonte de vitamina C, a frutinha é eficaz por conta da concentração de ácido ascórbico presente nela, um ótimo agente protetor do coração por suas propriedades antioxidantes, que estimulam o corpo a produzir óxido nítrico, potente vasodilatador. O que auxilia no controle da pressão arterial e previne doenças como derrame e aterosclerose.

 

 

 

 

Chocolate amargo

Contêm flavonoides, que atuam como antioxidantes e são capazes de neutralizar os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento celular e que podem dar origem a problemas cardiovasculares. Flavonoides ainda são relacionados à redução do mau (LDL) e aumento do bom colesterol (HDL). Ainda não se descobriu a quantidade benéfica certa, mas o recomendado são até 30 gramas diárias.

 

 

 

Salmão

O ômega-3, presente na espécie, e também encontrado no atum ou sardinha, é fundamental para a saúde cardiovascular. Ele é um tipo de gordura, um ácido graxo que não é produzido pelo organismo, anti-inflamatório que ajuda a manter as artérias saudáveis e o sistema circulatório normal. Chia e a semente de linhaça também são boas fontes de ômega-3.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: vivabem.uol.com.br

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio