Quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Fabio de Carvalho
Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Renilde

7 sinais de intolerância à lactose

Publicado em 13/03/2018 às 08:30

A lactose é um tipo de açúcar naturalmente presente no leite e na maioria dos seus derivados. Para digerir esse açúcar, o organismo utiliza a enzima lactase. Se a produção dessa enzima é insuficiente, ou mesmo ausente, a pessoa é considerada intolerante à lactose. Trata-se de uma patologia muito comum, que acompanha cerca de 70% dos adultos brasileiros e pode tanto ter origem genética quanto ser desenvolvida ao longo do processo de envelhecimento.

Para quem já sabe que é intolerante à lactose, a recomendação é evitar o consumo de leite e derivados, como queijo, requeijão, iogurtes, sorvetes, entre outros. Entretanto, quem é intolerante à lactose e ainda não descobriu tende a apresentar alguns desconfortos após o consumo de alimentos lácteos, que servem como pistas para que o diagnóstico seja feito. Conheça agora os principais sinais manifestados pelo corpo para indicar um quadro de intolerância à lactose:

Diarreia ou prisão de ventre
O consumo de alimentos ricos em lactose sem que existam enzimas capazes de processá-la acarreta um grande desequilíbrio da flora intestinal. Tal desequilíbrio se manifesta de duas maneiras opostas: pode ocorrer diarreia (desde moderada até severa) ou prisão de ventre (também em graus variados).

Gases
A dificuldade para quebrar a lactose em um organismo intolerante faz com que ela chegue ainda não digerida ao intestino, onde começa a ser fermentada pelas bactérias naturais da flora intestinal. Esse processo de fermentação causa a produção excessiva de gases, que geram desconforto e podem se manter presos na região abdominal durante muitas horas após a ingestão do alimento lácteo.

Inchaço abdominal
A produção excessiva de gases em função da fermentação da lactose no intestino leva, por consequência, à ocorrência da distensão abdominal. O abdômen fica inchado e rígido, causando mal-estar e sensação de estufamento. Assim como os gases, o inchaço abdominal pode permanecer durante horas após o consumo do alimento lácteo.  

Cólicas intestinais
O processo de fermentação da lactose não digerida desequilibra a flora intestinal que, em conjunto com o grande acúmulo de gases, provocam cólicas intestinais. As cólicas derivadas da intolerância à lactose costumam acarretar dores fortes e agudas, que debilitam a qualidade de vida do paciente. Podem ser reconhecidas por sua intensidade e reincidência, diferenciando de cólicas ocasionais derivadas de má digestão.

Vômitos e náuseas
Especialmente em crianças intolerantes à lactose, vômitos e náuseas são comuns após a ingestão de alimentos derivados do leite. Isso porque o sistema gastrointestinal infantil ainda é imaturo, e reage eliminando imediatamente as substâncias nocivas para evitar danos maiores. Em adultos intolerantes, também pode haver ocorrência de náuseas – mas o vômito já é menos comum.

Alteração nas fezes
A ação das bactérias intestinais durante o processo de fermentação estimula a produção de fezes com acidez mais alta do que o normal, que podem causar ardência ou mesmo dor ao evacuar. Essa acidez também pode mudar o odor das fezes, o que é mais um sinal indicativo de intolerância à lactose.

 

É importante ressaltar que todos os desconfortos acima citados também podem decorrer de outros distúrbios gastrointestinais. Diante de qualquer um dos sintomas, procure avaliação médica para obter um diagnóstico preciso e iniciar um tratamento responsável.

 

Fonte: Agemed.com.br

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio