Sexta-feira, 25 de setembro de 2020

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele
Anúncio - Movimento Saúde

Abuso de analgésicos e anti-inflamatórios pode causar gastrite e úlcera, afirma especialista

Publicado em 19/02/2018 às 09:04 por Rosi Rodrigues

Quando pinta aquela dorzinha de cabeça, ninguém hesita em tomar aquele remedinho que está sempre á mão. O bordão “Tomou (...) a dor sumiu”, já faz parte da cultura popular. O que muita gente não sabe são os perigos que se escondem por trás desses remedinhos tão inocentes.

O uso prolongado de ácido acetilsalicílico (AAS), componente principal da fórmula dos analgésicos e anti-inflamatórios mais vendidos no Brasil, pode trazer vários riscos à saúde. Doenças como gastrites e úlceras gástricas podem ser provocadas ou agravadas pelo uso desses medicamentos.

 

“Não são raros os casos que chegam ao nosso consultório com diagnóstico de gastrite em que o paciente apresenta um longo histórico de abuso de analgésicos e anti-inflamatórios”, diz o médico especialista em Endoscopia e Cirurgia do Aparelho Digestivo e Gastroenterologista, Gilberto Carlos Lopes (CRM 18.956).

 

Segundo o especialista, a gastrite é uma doença caracterizada pela inflamação, infecção ou erosão, aguda ou crônica da mucosa que reveste as paredes internas do estômago. Já a úlcera gástrica é uma lesão ou ferida no estômago. Ambas provocam muita dor.

Analgésicos e anti-inflamatórios a base de ácido acetilsalicílico interferem na capacidade do estômago de proteger-se contra os seus ácidos.

O estômago possui três defesas contra os sucos digestivos: o muco, que reveste a parede gástrica e a protege contra o ácido; o bicarbonato, que neutraliza o ácido do estômago; e a circulação sanguínea gástrica, que ajuda na renovação e reparação celular.

“O abuso de medicamentos a base de AAS interfere nos mecanismos de proteção e os sucos gástricos podem ferir e lesar a mucosa do órgão. Sintomas como queimação gástrica, azia, dor e desconforto abdominal vão piorando com o tempo”, diz o médico.

Muitas vezes quando o paciente chega ao consultório do especialista o quadro já se agravou

 

De acordo com o médico, todo o trato gastrointestinal pode ser comprometido. “As ações lesivas dos anti-inflamatórios e analgésicos não se limitam apenas ao estômago e ao duodeno. O esôfago, o intestino delgado e cólon também podem ser afetados”, reitera.

Todo o trato gastrointestinal pode ser afetado pelo abuso desse tipo de medicamento

 

Procure um especialista

O acido acetilsalicílico é empregado no tratamento de pacientes cardíacos e das tromboses. Mas deve ser utilizado somente com prescrição médica e pelo período indicado.

“Um dos efeitos do AAS é ‘afinar o sangue’, pois ele age como um antiagregante plaquetário, que impede a formação de coágulos no sangue. Essa mesma característica é o que provoca erosões e consequentemente sangramentos no trato gastrointestinal”, diz o médico.

“Alguns pacientes relatam que tomam o AAS para prevenir doenças do coração e fazem isso sem nunca terem passado por uma avaliação médica. O resultado são as gastrites e úlceras. Além disso, o abuso deste medicamente é associado frequentemente ao aumento da incidência de casos de acidentes vasculares cerebrais”, alerta o doutor Gilberto Lopes.

“Tomar qualquer tipo de medicamento, por mais inocente que pareça, sem prescrição médica é um risco enorme à saúde. O ideal é fazer consultas e exames periódicos e não descuidar da alimentação. Hábitos saudáveis e atitudes preventivas é o que garante um organismo saudável ao longo de toda a vida”, complementa o médico. 

 

SERVIÇO

O médico Gilberto Carlos Lopes atende na Clínica Gastro Umuarama, que fica na Rua Jussara, 3518 (ao lado do Hospital São Paulo) - Fone: (44) 2031-0180 / 9915-0129 - Umuarama – PR. Saiba mais 

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio