Segunda-feira, 23 de setembro de 2019

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele

As ações do Programa Bairro Saudável têm contribuído para conter a infestação predial pelo mosquito da dengue

Foto: Divulgação

Bairro saudável na luta contra o mosquito da dengue

Publicado em 23/03/2019 às 22:34 por Rosi Rodrigues

As ações do Programa Bairro Saudável têm contribuído para conter a infestação predial pelo mosquito da dengue, apesar de as condições climáticas atuais estarem propícias à reprodução do inseto. Enquanto a situação tem se agravado em outros centros da região – com o aumento nos casos da doença e nos focos do mosquito, casos de Paranavaí e Cianorte – em Umuarama os números permaneceram estáveis.

O Levantamento de Índice Rápido para Infestação pelo Aedes aegypti (Liraa) realizado entre os dias 11 a 15 de março apontou presença de larvas do mosquito 3,4% das residências – praticamente o mesmo índice apurado em janeiro (3,3%). Além da orientação à população, feita pelos agentes de saúde e de combate a endemias, o Bairro Saudável recolheu 424 toneladas de móveis velhos, materiais recicláveis e recipientes que podem acumular água – eliminando inúmeros  criadouros do mosquito, em potencial.

O volume deve passar de 450 toneladas com o recolhimento nos distritos de Serra dos Dourados e Santa Eliza, neste final de semana. “Notamos que houve crescimento do índice de infestação em nove bairros, alguns dos quais apresentaram baixo volume de material recolhido. Onde a população aderiu melhor ao programa, os números melhoraram”, explicou a secretária municipal da Saúde, Cecília Cividini.

Em 27 das cerca de 60 localidades em que a cidade é dividida para o levantamento não foram encontradas larvas do mosquito. Conforme o Liraa, a infestação é mais crítica no Conjunto Sonho Meu, no Jardim São Cristóvão e no Parque Jabuticabeiras. Com a média de 3,4 imóveis com larvas em cada grupo de 100, a situação de Umuarama é considerada de médio risco – até o momento, seis casos de dengue foram confirmados (quatro na Praça dos Xetá, um na Avenida Vitória e outro no Parque Laranjeiras). Em Cianorte já são mais de 20 e em Paranavaí, onde a infestação atingiu 4,7% dos imóveis, mais de 40 pessoas já contraíram dengue neste ano.

É importante reforçar que a população não pode relaxar nos cuidados com a dengue. “Infelizmente ainda encontramos muito lixo jogado de forma irregular, mesmo em locais que o Bairro Saudável realizou coleta. Esse hábito precisa ser corrigido, pois ameaça o resultado de todo o trabalho que o município realizada para combater o mosquito. Além de manter a limpeza do quintal, eliminando possíveis criadouros, é preciso parar de jogar lixo em estradas e terrenos baldios”, orienta o secretário de Serviços Públicos, José Guimarães de Melo.

Ação contínua

Embora o recolhimento de materiais finalize neste fim de semana, com a coleta nos distritos, as ações do Bairro Saudável terão continuidade com a realização de palestras promovidas pela Diretoria de Meio Ambiente e Secretaria de Comunicação Social da Prefeitura em escolas, associações e entidades interessadas orientar a população sobre a destinação correta do lixo e o combate ao mosquito da dengue. O agendamento pode ser solicitado junto à Secretaria de Comunicação Social.

O município está preparando, ainda, ações com o efetivo do Tiro de Guerra 05.012, associações de bairros e a sociedade organizada para ampliar o envolvimento do público. As unidades básicas de saúde que contam com monitores de TV exibirão vídeos de conscientização da campanha, a fiscalização sobre a limpeza dos terrenos, poda de mato e eliminação de criadouros será intensificada e a Vigilância Ambiental incluirá alunos das faculdades locais na coleta amostral de larvas nos imóveis da cidade, para posterior análise em laboratório, em parceria com a Universidade Paranaense (Unipar).

Além de investir nas ações, o prefeito Celso Pozzobom defende que o assunto seja intensificado junto à sociedade. “Precisamos disseminar os conhecimentos sobre o mosquito e integrar a população, cada vez mais, na discussão do tema. O combate ao mosquito precisa virar uma cultura, um hábito comum para a população, para que cada um faça a sua parte e até um pouco mais, alertando os vizinhos ajudando a cuidar do seu bairro. Só assim conseguiremos vencer essa batalha que precisa ser enfrentada todos os anos”, disse.

“O município tem feito a sua parte, mas a participação da comunidade é fundamental para atingirmos o melhor resultado”, completou o prefeito Celso Pozzobom.

FONTE: O BENDITO 

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio