Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele

Para combater a sensação de rejeição é extremamente importante aprender a valorizar a si mesmo.

Foto: Divulgação

“Porque ninguém gosta de mim”: o que faço para mudar essa sensação?

Publicado em 18/01/2019 às 11:49

A sensação de rejeição e a carência afetiva são os principais fatores que podem fazer com que uma pessoa acredite que ninguém será capaz de amá-la e valorizá-la. Além disso, a baixa autoestima, o excesso de autopiedade e a falta de autoconhecimento são outros aspectos que estão intimamente relacionadas com este tipo de pensamento.

A qualidade das relações primárias é o que geralmente determina o comportamento de uma pessoa que se sente rejeitada, e os indivíduos que não receberam carinho suficiente na infância ou foram rejeitados pelos pais têm tendência a desenvolver esse tipo de insegurança — seja na vida amorosa, profissional ou familiar. Isso pode ocorrer tanto por uma situação real ou pela interpretação que a criança deu a algum fato que foi traumático para ela.

O contrário também pode ocorrer: o excesso de carinho e cuidado pode desencadear a carência afetiva e o medo da rejeição, uma vez que pessoas que cresceram muito dependentes de seus pais tendem a sentir que não são capazes de encarar situações cotidianas sem ajuda, o que inclui a tarefa de amar a si mesmas. Como consequência disso, esses indivíduos acabam condicionando sua felicidade aos outros.

Como combater sensação de não ser amado com Inteligência Emocional?
Cuidado com a autopiedade
Sentir pena de si mesmo pode ser uma armadilha perigosa, visto que o indivíduo se torna colecionador de suas próprias dores. Ficar preso aos traumas e episódios que trouxeram sofrimento é uma atitude que pode contaminar todas as esferas da vida do indivíduo, colocando a pessoa em uma situação de vitimização e inferioridade. É importante ter responsabilidade sobre a própria vida e se libertar dos episódios que foram interpretados como rejeição e abandono.

Valorize-se
Para ser amado e aceito pelo outro, é fundamental aprender a amar e valorizar a si mesmo. Aprenda a olhar para suas maiores qualidades, realizações e características positivas. Desse modo, perceba como você é especial e merece ser amado.

Ressignifique seus traumas
É importante olhar para alguns acontecimentos do passado e entender as marcas que eles deixaram e qual foi a sua interpretação diante dessas situações. Só assim será possível atribuir novos significados para essas memórias que causaram dor. Questione o sentindo que você dá a seus traumas e pare de se torturar por coisas que estão fora do seu controle.

Cuide de suas emoções
Não importa como ou quando os traumas emocionais que levam a sensação de rejeição foram gerados: eles permanecerão no seu subconsciente, seja como uma memória que trouxe aprendizado ou como uma dor que cria mecanismos inconscientes.

Muitas pessoas têm dificuldade para encontrar equilíbrio emocional porque estão presas a um trauma reprimido que leva à autopiedade, medo da rejeição e a carência afetiva. É impossível voltar no tempo e mudar o que já aconteceu, mas é perfeitamente viável dar novos significados e interpretações para esses fatos do passado. 

Fonte: http://www.sbie.com.br/

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio