Sábado, 16 de fevereiro de 2019

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Fabio de Carvalho
Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Renilde

Um terço da população sofre de transtornos do sono em algum momento da vida.

Foto: Divulgação

TRANSTORNO DO SONO

Publicado em 04/01/2019 às 01:42 por Rosi Rodrigues

As conseqüências debilitantes dos transtornos do sono, especialmente da sonolência durante o dia, podem ser uma ameaça à saúde e à vida. O sono muda drasticamente da infância até a adolescência, mantém razoavelmente estável a vida adulta e novamente muda na velhice. Embora o despertar precoce pela manhã possa ser uma experiência razoavelmente comum em pessoas idosas, não é raro o psiquiatra equipará-lo com depressão.

Saber dos transtornos do sono é importante por que:

1 – Podem ser um sinal precoce do desenvolvimento de um problema psiquiátrico.
Por exemplo, a súbita ocorrência de sonhos vívidos e assustadores poderia ser o precursor do transtorno de estresse pós-traumático de início tardio.
2 – O psiquiatra vê muitos pacientes com queixas relativas ao sono que poderia ser a causa ou um efeito da condição. Por exemplo, um paciente pode exibir sintomas depressivos, como resultado de apnéia do sono.
3 – Transtornos e queixas relativas ao sono são comuns. Oitenta e nove por cento dos pacientes deprimidos têm uma queixa relativa ao sono. Muitos pacientes sofrendo de ansiedade relatam dificuldades para conciliar ou manter o sono ou queixam-se de pesadelos.

Orientações

Frequentemente os problemas surgem de condições ambientais (como, por exemplo, trabalho, problemas familiares, entre outras) ou hábitos prejudiciais.

Regras básicas que contribuem para o sono:

- Manter um programa regular de exercícios diários;
- Isolar o quarto de dormir de ruídos, luz, frio e calor excessivos;
- Fazer um lanche leve antes de deitar, se estiver com fome;
- Reservar um tempo antes de deitar para elaborar problemas emocionais;
- Ir para a cama apenas quando sonolento, a fim de obter o máximo sucesso;
- Usar a cama apenas para dormir. Não assistir televisão na cama, não comer, não falar ao telefone;
 -Não ficar deitado na cama acordado se não estiver com sono. Após alguns minutos levantar, ir para uma outra peça da casa e fazer alguma coisa excitante até que o sono venha;
-Acordar na mesma hora todas as manhãs, independente da hora em que se foi dormir, do tempo de sono total ou do dia da semana, e a última regra é evitar totalmente os cochilos.

Tratamento

O tratamento começa por um diagnóstico. Muitos transtornos do sono compartilham sinais e sintomas. O diagnóstico é complicado ainda mais pelo fato de que os transtornos do sono raramente acontecem isolados.

As modalidades de tratamento podem ser divididas em: farmacológicas (uso de medicamentos), cirúrgicas (por exemplo, abordagens cirúrgicas ao tratamento da apnéia do sono tentam corrigir obstruções e mal formações das vias aéreas), com aparelhos, comportamentais psiquiátricas. Muitos pacientes com insônia negam problemas emocionais, mas ela é um sintoma comum em diagnósticos psiquiátricos e psicológicos.

Fonte: ASSOCIAÇÃO CRICIUMENSE DE APOIO A SAÚDE MENTAL

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio