Segunda-feira, 23 de setembro de 2019

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele

Eliene Perazzio destaca que é importante procurar um dermatologista toda vez que a pessoa perceber manchas que coçam, ardem, descamam ou sangram; sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor; feridas que não cicatrizam em quatro semanas; além de mu

Foto: Divulgação

Câncer da pele é o mais comum no país e especialista faz alerta para as manchas que coçam

Publicado em 02/12/2018 às 07:00

A Sociedade Brasileira de Dermatologia lançou a campanha Dezembro Laranja, que desde 2014 promove ações de estímulo à prevenção e ao diagnóstico do câncer. Este ano, o tema da campanha é “Se exponha mas não se queime”. A intenção é informar sobre as formas de prevenção para a adoção de uma série de medidas fotoprotetoras, além de procurar um médico especializado, que dará o diagnóstico e o tratamento corretos.

“A pele é o maior órgão do corpo humano e o câncer da pele é considerado o mais comum no país, representando 33% dos diagnósticos desta doença no Brasil. São 176 mil novos casos e 1,5 mil mortes por ano, segundo o Instituto Nacional do Câncer”, destaca a dermatologista, Eliene Perazzio, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Eliene Perazzio destaca que é importante procurar um dermatologista toda vez que a pessoa perceber manchas que coçam, ardem, descamam ou sangram; sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor; feridas que não cicatrizam em quatro semanas; além de mudança na textura da pele ou dor.

Dicas

1- Evite exposição excessiva ao sol é a principal forma de evitar o câncer de pele. O verão pode aumentar a incidência de câncer de pele. Isso porque a radiação ultravioleta (UV) do sol é o principal agente causador de danos no DNA das células da pele;

2- Pessoas de pele clara se queimam com mais facilidade e têm maior risco de contrair câncer de pele;

3- A maioria dos diagnósticos de câncer de pele não são hereditários, mas fruto do hábito ao longo da vida. O sol tem efeito cumulativo na pele. Porém, familiares de pacientes diagnosticados com câncer de pele têm risco mais elevado e devem fazer exames preventivos regularmente;

4- Evite exposição solar das 10 às 16 horas;

5- Use protetor solar contra radiação UVA e UVB e que tenha fator de proteção de no mínimo 30. O ideal é usar diariamente, durante todo o ano, não apenas no verão para ir à praia ou piscina;

6- A primeira aplicação de protetor solar deve ser feita 15 minutos antes da exposição ao sol. Reaplique a cada duas horas ou após entrar na água;

7- O protetor deve ser usado em abundância. O ideal é uma colher de chá rasa para o rosto e três colheres de sopa para o corpo, espalhando de maneira uniforme;

8- Não esqueça de usar protetor labial;

9- Na praia, use chapéus, camisetas, óculos escuros e, claro, protetor. Fique embaixo de guarda-sóis de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta, por isso a proteção precisa ser reforçada por roupas e protetor solar. Atenção: as barracas de nylon praticamente não protegem contra os raios UV;

10- Cuidado com as crianças. O sol tem efeito cumulativo. Cuide da pele de seu filho usando filtro solar, camisa de proteção, guarda-sóis e evitando os horários de maior incidência de raios ultravioletas.
 

Fonte: Folha Vitória - ES

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio