Terça-feira, 9 de agosto de 2022

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - André
Anúncio - INSTITUCIONAL

Pouco mais de 12% dos asmáticos têm a doença controlada

Publicado em 03/05/2022 às 10:38 por Editoria Movimento Saúde

A asma é uma doença inflamatória crônica muito prevalente em todo o mundo. Estimativas da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tissologia apontam que mais de 20 milhões de brasileiros de todas as idades sofrem com a asma atualmente. Um contraponto é que, apenas 12,3% fazem o tratamento correto da doença.  

A asma é um dos problemas de saúde respiratória mais recorrentes no Brasil. Estima-se que 23,2% da população viva com a doença, e a incidência varia de 19,8% a 24,9% entre as regiões do País. Em 2021, foram realizados 1,3 milhão de atendimentos na Atenção Primária à Saúde, a porta de entrada do brasileiro ao Sistema Único de Saúde (SUS). O número corresponde a, aproximadamente, 231 mil consultas a mais que o ano anterior.

“Falta de ar, tosse, chiado no peito e até uma sensação de opressão torácica são alguns sintomas da asma. Eles comprometem a qualidade de vida dos pacientes, limitando suas atividades diárias. A asma não tratada também é causa de frequente de internações entre os doentes”, explica a médica pneumologista Alana Anne Kaneda Garcia (CRM 33746 - RQE: 27045 - RQE: 26391). 

A asma não tem cura, mas tem tratamentos capazes de controlar e até eliminar os principais sintomas. “O diagnóstico e o tratamento corretos e o acompanhamento médico são fundamentais para o paciente asmático. Como a asma não tem cura é muito importante seguir as orientações médicas e não abandonar o tratamento, mesmo na ausência de sintomas”, explica a especialista. 

Os sintomas da doença geralmente são desencadeados por alérgenos, como poeira, mofo, produtos químicos, alguns medicamentos, stress e uma série de fatores. Na maioria dos casos, o tratamento é feito com medicamentos para controlar e prevenir as crises e controle ambiental.  

Nesse sentido, a Dra. Alana ressalta mais uma vez a importância do acompanhamento especializado no tratamento da doença. “Uma das fases mais importantes do tratamento é o plano de cuidados, elaborado em conjunto com o médico e o paciente, visando identificar e eliminar fatores que possam desencadear as crises de asma” 

FIQUE SABENDO! 

O Dia Mundial da Asma, lembrado na primeira terça-feira de maio, é uma data de conscientização sobre o controle da asma, prevenção das crises e mortes mortes pela doença, globalmente. A campanha, proposta pela Iniciativa Global Pela Asma (GINA), é muito importante, tendo em vista que, no Brasil mais de 20 milhões de pessoas sofrem com a doença. A prevalência de asma é de 20% entre os adolescentes, por exemplo, e apenas 12,3% dos asmáticos estão com a doença bem controlada. (Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tissologia). 

O que fazer?

Ao sentir os sintomas ou qualquer dificuldade respiratória não-emergencial, é indicado procurar orientação médica, preferencialmente com um pneumologista o quanto antes. Além do médico especialista, o tratamento do paciente asmático pode envolver outros profissionais como, fisioterapeutas respiratórios e, quando necessário, psicólogos. Em casos de crises graves, o paciente deve procurar imediatamente a unidades de pronto atendimento ou o hospital mais próximo. Crises fortes de asma, se não tratadas imediatamente, podem levar o paciente à morte. 

Sobre a especialista

A médica pneumologista Alana Anne Kaneda Garcia (CRM 33746 - RQE: 27045 - RQE: 26391), também é especializada em clínica médica, com foco na atenção integral da saúde do paciente. Atende no Hospital Cemil e no Instituto de Pneumologia e Geriatria – IPG.  

Siga nas redes sociais
 @alanakanedagarcia @ipgpneumologiageriatriaumu @hospitalcemil 


FOTO: Hudson Fernando

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio