Quinta-feira, 15 de novembro de 2018

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Fabio de Carvalho
Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Renilde

Apoio emocional é fundamental no tratamento do câncer de mama

Publicado em 23/10/2017 às 09:05 por Rosi Rodrigues

Os seios estão entre as partes do corpo da mulher mais significativas e as que carregam os maiores estigmas. Em qualquer fase da vida, o diagnóstico positivo para um câncer de mama, pode ser uma notícia desoladora.

O crescimento dos seios determina a passagem da fase de criança para a vida adulta de uma mulher. Além do forte componente sexual, por serem atrativos e bonitos, estão relacionados ao desenvolvimento físico e emocional e a reprodução.

Para todas as mulheres, enfrentar um câncer de mama é muito difícil e o apoio emocional é muito importante.

“Cada paciente é única e vai reagir de uma forma diferente. Muitas precisam de acompanhamento psicológico para enfrentar o problema, além de apoio da família e dos amigos”, diz a psicóloga do setor de oncologia do Hospital UOPECAN de Umuarama, Soyane Marchi Marcato (CRP 19884).

O serviço de atendimento psicológico, oferecido gratuitamente na UOPECAN para as pacientes em tratamento e que não estão conseguindo lidar com a doença, visa amenizar a ansiedade e o medo.

“Procuro trabalhar com a paciente através do acolhimento inicial, explicações sobre os tratamentos e compreensão em relação ao significado que a mama possui para essa paciente”, ressalta a psicóloga.

RECONSTRUÇÃO

O medo da mutilação é outro fantasma que assombra as mulheres em tratamento contra o câncer de mama. Atualmente o Sistema Único de Saúde oferece a cirurgia de reconstrução da mama gratuitamente para pacientes mastectomizadas, aquelas que tiveram a mama ou parte dela retirada.

“Mais do que uma questão estética, a reconstrução da mama está diretamente ligada a busca da autoestima da mulher, à sua readaptação na família e na comunidade depois do tratamento”, argumenta a psicóloga.

Segundo ela, muitas pacientes relatam a dificuldade em se reconhecer e se olhar no espelho. Muitas sentem vergonha e medo de se mostrar ao parceiro depois da retirada da mama.

“Essas mulheres acabam abrindo mão da sua sexualidade e isso gera inúmeros problemas no relacionamento com o parceiro”, conta.

PENSAMENTO POSITIVO

Para Soyane, as pacientes que conseguem enfrentar o problema com pensamento positivo e autoestima elevada, passam pela doença com menos traumas.

“Não são raros os casos de isolamento e depressão, durante e depois do tratamento oncológico. Muitas não conseguem lidar com o medo de morrer e se entregam a esse medo”, afirma.

Apoio espiritual, acompanhamento psicológico, atividades de integração e o relacionamento próximo com pessoas da família e amigos também ajudam as pacientes a lidar melhor com o câncer de mama.

"A prevenção e o diagnóstico precoce é a maior arma das mulheres contra o câncer de mama. Quanto antes for descoberto tratado, maiores as chances de vida", destaca a psicóloga.

 

 

 

 

Autoexame em 5 passos simples

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio