Segunda-feira, 21 de setembro de 2020

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele
Anúncio - Movimento Saúde

A vacina contra a gripe não previne o Coronavírus, mas é muito importante para evitar a infecção por outros vírus também perigosos

Segundo lote de vacinas contra a gripe chega à Umuarama

Publicado em 28/03/2020 às 12:51

A Secretaria Municipal de Saúde recebeu o segundo lote de vacinas da Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza na última sexta-feira, 27. As doses já foram distribuídas às unidades básicas de saúde (UBS) e estarão a disposição do público-alvo na segunda-feira, 30. Mas é importante que as pessoas entrem em contato com os postos de saúde antes de se deslocarem. A quantidade é pequena e o atendimento precisa ser agendado, para não ocorrer aglomeração de pessoas.

A secretária municipal de Saúde, Cecília Cividini, informou que até o momento Umuarama recebeu pouco mais de 8.400 doses. “Tivemos 5.800 vacinas na primeira remessa e 2.600 na última semana. O número é bem pequeno frente a meta que temos, de vacinar 36.817 umuaramenses das 14 faixas de público-alvo”, explicou. De acordo com a 12ª Regional de Saúde, a previsão de nova distribuição de vacinas contra a gripe, por parte do Ministério da Saúde, é dia 2 de abril, porém não há estimativa da quantidade de doses.

O maior grupo é o dos idosos com 60 anos ou mais (12.760 pessoas), seguido pelo grupo das crianças, que estão divididas em faixas etárias e somam 7.178 doses. Para pessoas com comorbidades (doentes crônicos) o Ministério da Saúde destinará 6.189 doses e os adultos de 55 a 59 anos devem receber 4.948 vacinas. Para os trabalhadores da área de saúde são 3.021 doses, para gestantes e puérperas são mais 1.284 vacinas e para professores, outras 1.192 doses. Fecham os grupos pessoas privadas de liberdade, adolescentes e jovens sob medida socioeducativa (133) e funcionários do sistema prisional (112).

O calendário de vacinação estabelecido pelo Ministério da Saúde prioriza, na primeira fase, a vacinação de idosos (60 anos e mais), trabalhadores da saúde e crianças de 6 meses a menores de 6 anos. Na segunda fase, a partir de 16 de abril, será a vez de professores das escolas públicas e privadas, profissionais das forças de segurança e salvamento e portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

Por fim, a terceira fase (a partir de 9 de maio) contemplará gestantes e puérperas, povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, adultos de 55 a 59 anos e pessoas com deficiência.

De acordo com o Ministério da Saúde, a campanha deste ano foi antecipada para facilitar o diagnóstico da Covid-19 e evitar que o sistema de saúde fique sobrecarregado. A vacina não protege contra o novo coronavírus, mas contra tipos de influenza (incluindo o H1N1). Por isso, pode ajudar no diagnóstico (por eliminação) dos profissionais de saúde com suspeita de Covid-19.

Outro fato é que sem a antecipação o número de pessoas com síndromes gripais seria muito maior sem a campanha de vacinação, com muito mais pacientes ocupando leitos no sistema de saúde.

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio