Quarta-feira, 14 de novembro de 2018

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Fabio de Carvalho
Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Renilde

Mitos e verdades sobre os alimentos orgânicos

Publicado em 02/02/2018 às 16:10 por Rosi Rodrigues

Nos dias de hoje, a discussão sobre alimentação saudável está em alta. A população está cada vez mais interessada em informações sobre os melhores métodos de cultivo, preparação e consumo dos alimentos, sempre na busca de aliar saúde com a boa aparência.

Dentro desta discussão, surge a pauta dos alimentos orgânicos – aqueles cultivados sem a interferência de agrotóxicos, transgênicos, fertilizantes sintéticos ou quaisquer outros mecanismos capazes de oferecer risco para a saúde humana ou para o meio ambiente. Mas os orgânicos são polêmicos: dividem os consumidores entre os adeptos fervorosos, que evitam industrializados a todo custo, e os que enxergam alimentação orgânica como uma frescura, argumentando sobre os preços mais altos e a menor disponibilidade no mercado popular.

Como os alimentos orgânicos ainda são tabu nas refeições dos brasileiros, seguem sendo vistos com tom de desconfiança pelos consumidores. Para acabar com esta mistificação dos orgânicos, é hora de descobrir o que é mito e o que é verdade a respeito dos alimentos de cultivo puro e natural:

· Alimentos orgânicos são mais saudáveis?

É verdade sim! Por serem cultivados livres de agentes químicos artificiais (como agrotóxicos ou hormônios de crescimento), os alimentos se desenvolvem apenas com os nutrientes naturais da terra. Desta forma, chegam ao seu ponto máximo de maturação sem interferência de elementos sintéticos, o que possibilita uma maior concentração de minerais e vitaminas. Além disso, são livres de nitritos e nitratos com potencial cancerígeno, comumente usados na produção dos alimentos convencionais.

· Por não passarem por indústrias, estes alimentos não são fiscalizados?

Mito. A fiscalização não ocorre somente nas indústrias: os orgânicos passam por rigoroso controle de qualidade, no qual recebem o selo que atesta que seu cultivo foi comprovadamente feito sem a interferência de agentes químicos sintéticos. O selo de aprovação é cedido pelo Inmetro, e o certificado de ausência de agrotóxicos vem do Ministério da Cultura, Pecuária e Abastecimento.

· Orgânicos são mais caros?

VerdadeInfelizmente, o custo de mercado dos alimentos orgânicos ainda é superior ao dos alimentos industrializados. Isto se dá porque os orgânicos crescem e se desenvolvem de maneira natural, sem o auxílio de produtos que afastam as pragas e aceleram o crescimento. Desta forma, seu tempo de cultivo é muito mais longo e, as safras, em menor escala – consequentemente, os valores sobem, para compensar as dificuldades de produção. Entretanto, tenha em mente que investir no alimento mais caro hoje pode significar economia em medicamentos no futuro.

· O consumo de orgânicos ajuda a emagrecer?

Mito. As duas coisas não estão necessariamente relacionadas. Os alimentos orgânicos promovem a saúde, por manterem o organismo longe de químicas agressivas. Já o emagrecimento é decorrente de uma dieta balanceada e com baixo teor de gorduras e açúcares. Logo, alimentar-se de orgânicos não é garantia de diminuir suas medidas.

· Os orgânicos configuram alimentação sustentável?

Verdade. Além de serem amigos da saúde, os alimentos orgânicos ainda colaboram para a preservação do meio ambiente! Por serem livre de agrotóxicos, seu cultivo não compromete a qualidade dos lençóis freáticos, a fertilidade dos solos de plantio e nem lança gases poluentes na atmosfera. A natureza e o seu corpo agradecem!

· Posso consumir orgânicos sem lavar?

Mito. Ainda que sejam produzidos sem a pulverização de agentes químicos, os orgânicos permanecem expostos aos micro-organismos e sujeiras do ambiente. Todo e qualquer alimento, independente do seu método de cultivo, deve ser bem lavado e higienizado antes do consumo (mesmo aqueles que serão cozidos).

· Posso consumir orgânicos crus?

Verdade. Os alimentos orgânicos vegetais podem ser ingeridos crus sem qualquer problema, desde que higienizados da maneira correta. O cultivo sem agrotóxico não oferece qualquer dano ao alimento – muito pelo contrário: são melhores opções para consumo cru do que os vegetais de cultivo tradicional.

· Ao consumir orgânicos, estou mais vulnerável à intoxicação alimentar?

Mito. Conforme dito anteriormente, os métodos de plantio naturais e livres de químicas sintéticas não prejudicam o alimento e suas propriedades de qualquer forma. Só por terem sido cultivados com exposição a eventuais pragas, não significa – de maneira alguma – que você irá consumir alimentos podres ou estragados. Lembre-se que o controle de qualidade vale para os orgânicos também.

· Existem alimentos a serem priorizados na busca por orgânicos?

Verdade. O cultivo convencional dos alimentos mais vulneráveis a pragas – tomate, morango e alface, principalmente – costuma exagerar nas doses de agrotóxicos, para garantir que as safras serão vigorosas e trarão lucro para a empresa. Procurar pela versão orgânica destes alimentos é sempre a melhor opção.

 

Fonte: www.agemed.com.br

Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio