Sexta-feira, 22 de novembro de 2019

(44) 2031-0399

(44) 9 9907-2342

Anúncio - Fabio de Carvalho
Anúncio - Dr Ronaldo
Anúncio - Gisele
Anúncio - Movimento Saúde

Foto: Divulgação

16 de Outubro: Dia Mundial da Alimentação

Publicado em 18/10/2019 às 07:47
Ter uma alimentação saudável é fundamental para ter uma vida saudável e longe de várias doenças. Mas, na prática, o que realmente significa ter hábitos saudáveis? “A alimentação saudável é aquela adequada às necessidades biológicas e culturais de cada pessoa, apropriada do ponto de vista da qualidade, quantidade e variedade. É se alimentar de acordo com as necessidades de cada fase da vida e é preciso que ela seja acessível do ponto de vista físico e financeiro, e ainda ser baseada em práticas produtivas adequadas e sustentáveis”, explica Gisele Bortolini, coordenadora de alimentação e nutrição do Ministério da Saúde.
 
Segundo a coordenadora, uma refeição saudável é composta por um prato com base em alimentos in natura, aqueles obtidos diretamente de plantas ou de animais sem que tenham sofrido qualquer alteração após deixar a natureza, e que estejam minimamente processados. “É fundamental que esses alimentos façam parte do dia a dia para ter uma alimentação nutricionalmente balanceada, saborosa, culturalmente apropriada”, comentou a Giseli.
 
Alimentação variada
 
Alimentos de origem animal são boas fontes de proteínas e da maioria das vitaminas e minerais, mas não com fibra e podem apresentar elevada quantidade de calorias por grama e teor excessivo de gorduras não saudáveis. Já os alimentos de origem vegetal, costumam ser boas fontes de fibras, de vários nutrientes e geralmente têm menos calorias por grama do que os de origem animal. “Individualmente, tendem a não fornecer, na proporção adequada, todos os nutrientes de que necessitamos. Isso explica a razão de a espécie humana ter evoluído de modo a se tornar apta a consumir grande variedade de alimentos”, reforça a Gisele.
 
Alimentos ultraprocessados podem resultar em obesidade
 
A coordenadora de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, XX, aconselha que criemos o hábito saudável evitando alimentos ultraprocessados para evitar a obesidade e outras doenças crônicas. “Os ingredientes principais dos alimentos ultraprocessados fazem, com frequência, que sejam ricos em gorduras ou açúcares e, muitas vezes, simultaneamente. Estes alimentos tendem a ser muito pobres em fibras e sua composição nutricional favorece o aparecimento de doenças do coração, diabetes e vários tipos de câncer, além de contribuir para aumentar o risco de deficiências nutricionais”, ressaltou ela.
 
Quando se consome alimentos ultraprocessados, tende-se a ingerir mais calorias do que se necessita e calorias ingeridas e não gastas inevitavelmente acabam estocadas no corpo na forma de gordura. O resultado é a obesidade.
Uma alimentação saudável contribui para a melhora da qualidade de vida da população, reduzindo a prevalência do excesso de peso (sobrepeso e obesidade), doenças crônicas associadas e outras doenças relacionadas à alimentação e nutrição. Alimente-se bem!
 
Fonte: Blog da Saúde 
Anúncio - Dra Marlene
Anúncio - Dr Antonio